Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Jogo decisivo

13 de Maio, 2019
O campeonato nacional de basquetebol Unitel-basket pode conhecer hoje o campeão nacional. Logo mais teremos o quarto jogo da final do playoff a melhor de sete jogos entre Petro de Luanda e 1º de Agosto. Os petrolíferos levam vantagem sobre o adversário, estando a vencer nesta altura por 3-0, um resultado que, na verdade, tem colhido todos de surpresa em função daquilo que os militares nos deram a ver na fase regular e noutras provas como a Taça de Angola e o apuramento para a Afroliga.
Os petrolíferos dominaram os jogos no Vitorino Cunha e foram vencedores no primeiro na Cidadela Desportiva. Portanto, têm meio caminho andado para a consagração, sendo que apenas um deslize fatal poderá poderá inviabilizar a concretização do seu principal objectivo.
Mas para o 1º de Agosto, que na condição ao título tem a obrigação de revalidá-lo nada ainda está perdido. O \"volt-face\" ainda é possível, e vai conjugar esforços redobrados no sentido de dar a voltar por cima. Aliás, no último jogo Paulo Macedo já mostrou um equipa mais ousada e determinada.
Em defesa da suspense e do interesse do campeonato seria bom que o ele tivesse mais estrada quanto, mais não seja uma forma demonstrativa do prestígio das duas equipas finalistas. Mas tudo isso será determinado pela prestação e pela reacção dos prolíferos.
Ainda assim, é quase um dado adquirido que não vai o 1º de Agosto se deixar perder por 4-0. Dai que é de esperar pelo jogo de hoje uma disputa acirrada, de modo a fazer com que o campeonato vá mais para lá. Ou seja, não termine ainda, o que até seria inédito na sua História recente.
Lembremo-nos que na edição passada o 1º de Agosto vencia por 3-0 tendo o Petro reduzido para 3-1, para depois perder no quinto jogo. Portanto, chegou-se ainda ao quinto dos sete jogos, o que pode não ocorrer desta vez caso o 1º de Agosto continue a se revelar inofensivo, sem chama, sem garra e sem determinação.
Pensamos que não é isto também que a massa associativa do 1º de Agosto espera. Como detentor do título ainda que não tenha arcaboiço para ir mais além, mais que não venda a derrota a baixo preço. Daí que precisa fazer tudo mais alguma coisa no jogo de logo mais para adiar a consagração do Petro de Luanda.
É enorme a expectativa em torno do jogo. Pois, se petrolíferos esperam que seja hoje a abertura do champanhe, militares pensam de forma contrária. Esperam que a sua equipa consiga reduzir a desvantagem no resultado e depois sair à luta pela recuperação do terreno perdido, a ver se ainda consegue chegar à revalidação. Mas será que ainda chega lá? Eis a questão que fica no ar.

Últimas Opinies

  • 20 de Janeiro, 2020

    Deixem a Marximina regressar

    Olhei para o tempo que já passou desde a suspensão da árbitra Marximina Bernardo, acabou penalizada pela Federação Angolana de Futebol (FAF), sobretudo porque, em minha opinião, este órgão hesita em não condescender exagerada decisão que então tomou, quando para “homens do apito” as punições quase que sabem a flores.

    Ler mais »

  • 20 de Janeiro, 2020

    Cartas dos Leitores

    O orçamento não varia muito dos anos anteriores. Podemos dizer que é ligeiramente superior a dois milhões de dólares por ano. Este é o valor que temos consagrado para o Sagrada Esperança.

    Ler mais »

  • 20 de Janeiro, 2020

    Regatas para Tquio

    Marcado por aceso despique, o Campeonato Africano de Vela nas classes 420 e 470, realizado de 13 a 18 do corrente mês na Contra-Costa da Ilha do Cabo, em Luanda, confirmou mais uma qualificação de Angola à maior montra desportiva do globo.

    Ler mais »

  • 18 de Janeiro, 2020

    Welwitschias voltam a dar o ar da sua graa

    Depois da “travessia do deserto” por que passou nos últimos tempos, obrigando a ficar inactiva, a Selecção Nacional de Futebol feminina pode testemunhar um novo ciclo no ano que dá ainda os seus primeiros passos.

    Ler mais »

  • 18 de Janeiro, 2020

    Futebol feminino busca resgate da mstica

    Já houve tempos que o futebol feminino era de facto uma festa cá entre nós, pois inflamava paixões e, de facto arrastava multidões.

    Ler mais »

Ver todas »