Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Kabuscorp ameaado

04 de Maio, 2019
A Federação Angolana de Futebol recebeu na semana que hoje termina, uma missiva do órgão reitor do futebol mundial (FIFA), a determinar que o clube do Palanca faça chegar à esta instância, por via do organismo angolano (FAF), todos os comprovativos de pagamento da dívida ao brasileiro Rivaldo, até à próxima segunda-feira. Ou seja, dentro das próximas 48 horas.
De acordo com a nota, o Kabuscorp do Palanca deve a Rivaldo 500 mil dólares, que devem ser liquidados nas próximas horas, sob pena da equipa classificada na quarta posição do Girabola, ser despromovida para o escalão inferior, no caso à segunda divisão, situação confirmada pelo presidente do Conselho de Disciplina da FAF, José Carlos.
Talvez, Bento Kangamba e pares tenham sido apanhados em contra-mão ou não, a verdade é que a situação não pode ser minimizada. Deve ser encarada com mais seriedade, já que tende a pôr em causa a reputação do futebol angolano e sobretudo, do órgão que superintende. Até prova em contrário, estamos perante um acto de “calote”, que não dignifica pessoas de bem.
E, mais: a nota refere ainda, que caso o clube não entregue os documentos à FAF, para esta os encaminhar à FIFA, dentro do prazo estipulado, a direcção de Artur de Almeida e Silva não deve vacilar na aplicação de sanção, sob pena da FAF arcar com as consequências. Ora, isto significa, que o órgão máximo do futebol nacional também está encostado à parede.
Ouvimos Bento Kangamba, presidente do clube, dizer à uma estação de rádio local, ter a situação sob controlo, inclusive, adiantou que efectuou o pagamento de quase 90 por cento da dívida de 500 mil dólares. Oxalá, não esteja a falar só por falar, como quem pretende desviar a atenção. Porque, as consequências para o clube, como para a FAF, serão incalculáveis.
No caso da punição recair sobre o clube, a despromoção da primeira divisão, a classificação do Girabola passa a ter outra arrumação, uma vez que todas as equipas com quem defrontou, passam a ter três pontos adicionais, o que pode levar o Petro de Luanda à liderança do Girabola e mais próximo do título. No caso do visado ser a FAF, fica o país afastado de todas as competições internacionais, sem que haja CAN\'2019, nem Mundial de Sub-17. Resumindo, o caso não é para menos...

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »