Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Kabuscorp ameaado

04 de Maio, 2019
A Federação Angolana de Futebol recebeu na semana que hoje termina, uma missiva do órgão reitor do futebol mundial (FIFA), a determinar que o clube do Palanca faça chegar à esta instância, por via do organismo angolano (FAF), todos os comprovativos de pagamento da dívida ao brasileiro Rivaldo, até à próxima segunda-feira. Ou seja, dentro das próximas 48 horas.
De acordo com a nota, o Kabuscorp do Palanca deve a Rivaldo 500 mil dólares, que devem ser liquidados nas próximas horas, sob pena da equipa classificada na quarta posição do Girabola, ser despromovida para o escalão inferior, no caso à segunda divisão, situação confirmada pelo presidente do Conselho de Disciplina da FAF, José Carlos.
Talvez, Bento Kangamba e pares tenham sido apanhados em contra-mão ou não, a verdade é que a situação não pode ser minimizada. Deve ser encarada com mais seriedade, já que tende a pôr em causa a reputação do futebol angolano e sobretudo, do órgão que superintende. Até prova em contrário, estamos perante um acto de “calote”, que não dignifica pessoas de bem.
E, mais: a nota refere ainda, que caso o clube não entregue os documentos à FAF, para esta os encaminhar à FIFA, dentro do prazo estipulado, a direcção de Artur de Almeida e Silva não deve vacilar na aplicação de sanção, sob pena da FAF arcar com as consequências. Ora, isto significa, que o órgão máximo do futebol nacional também está encostado à parede.
Ouvimos Bento Kangamba, presidente do clube, dizer à uma estação de rádio local, ter a situação sob controlo, inclusive, adiantou que efectuou o pagamento de quase 90 por cento da dívida de 500 mil dólares. Oxalá, não esteja a falar só por falar, como quem pretende desviar a atenção. Porque, as consequências para o clube, como para a FAF, serão incalculáveis.
No caso da punição recair sobre o clube, a despromoção da primeira divisão, a classificação do Girabola passa a ter outra arrumação, uma vez que todas as equipas com quem defrontou, passam a ter três pontos adicionais, o que pode levar o Petro de Luanda à liderança do Girabola e mais próximo do título. No caso do visado ser a FAF, fica o país afastado de todas as competições internacionais, sem que haja CAN\'2019, nem Mundial de Sub-17. Resumindo, o caso não é para menos...

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »