Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Libolo ao ataque

16 de Maio, 2017
O Recreativo do Libolo entrou com o pé direito na fase de grupos da Taça da Confederação. A turma de Calulo venceu na primeira jornada, o Al Hilal do Sudão, por 1-0, resultado que não sendo gordo, eleva o astral do grupo, motiva-o para as próximas jornadas. Oxalá, consiga nos próximos jogos manter a bravura e a entrega demonstradas no domingo.

Aliás, depois de Angola ter sido retirada do G-12 devido aos resultados mal conseguidos dos seus representantes nas competições africanas de clubes, ficou reduzida a dois representantes, espera-se que o único embaixador ainda em competição consiga um desempenho e uma classificação, que concorram para a inversão do quadro actual.

Nos bastidores do futebol há muita crença e fé, de equipa do Cuanza Sul sair se bem nesta nova empreitada competitiva, crença que encontra sustentabilidade na maturidade que demonstra, quer na competição interna onde acumula vários títulos, quer na competição africana.

Aliás, o segredo para o grupo de trabalho é simples: vincar o espírito da fase preliminar, em que direcção, equipa técnica e jogadores tudo fizeram para o regresso à fase de grupos. Portanto, bateram-se até que conseguiram, também podem fazer o mesmo, nesta etapa crucial.

Há quem diga que a disputa em simultâneo, da competição africana e o Girabola Zap, pode ser uma contrariedade, pensamos que não. Antes pelo contrário, facilitam as coisas, já que a equipa poder manter o ritmo competitivo. Pior seria estar nas Afrotaças, em período de defeso, na competição interna.É certo que não é missão facilitada, estar a competir na prova africana e ao mesmo tempo nas provas internas, e contar também com a Taça de Angola.

As grandes equipas gerem estas situações, e o Recreativo do Libolo situa-se hoje por hoje , e por mérito próprio, entre os grandes do futebol angolano.
Apelamos à Vaz Pinto e pupilos, que a postura demonstrada no jogo de domingo, é a que deve ser demonstrada em todos os jogos que realizem no seu reduto.

Ou seja, os jogos caseiros são para ganhar, porque vezes sem conta, fora de portas defrontamo-nos com outras situações extras, muitas vezes prejudiciais às nossas pretensões.

Os primeiros três pontos estão somados. Agora, as atenções devem estar viradas para a próxima jornada. O começo é auspicioso, a sequência da prova pode determinar outros passos, que se esperam firmes e virtuosos. Angola precisa de mostrar à África ,que também tem clubes competitivamente expressivos.

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »