Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Mais segurana

19 de Abril, 2014
O móbil para o descontentamento dos espectadores e adeptos desta ou daquela equipa tem sido sempre o alegado mau trabalho dos árbitros, com atitudes tendenciosas a favor de determinada equipa, mas nada justifica, porém, que partam para actos violentos, insurgindo-se, inclusive, contra as forças policiais que têm como missão garantir a segurança e a integridade física de todos os intervenientes nos espectáculos desportivos, jogadores, árbitros e público.

Este sábado promete ser fértil em muitas emoções, particularmente em Calulo, onde haverá um jogo de campeões, cuja rivalidade cresce de ano para ano. O encontro entre o Recreativo do Libolo e o Kabuscorp do Palanca que acontece esta tarde, acaba, pois, de ser um jogo de alto risco, porquanto, para além de estar em jogo a liderança do campeonato, há outros factores adicionais, como as contas que os dois conjuntos têm por saldar.

Como jogo de cartaz da jornada, e pelos dados acima descritos, é imperioso que se evitem situações desagradáveis antes, durante e depois do jogo, para bem do espectáculo, até porque o recinto do Libolo já registou no passado exemplo de má conduta de alguns adeptos locais, cujo comportamento acabou por manchar o nome do clube libolense.

Em termos de afluência de público aos estádios o número tem sido animador e, em algumas situações, chega mesmo a superar as estimativas iniciais, facto que pode deixar de existir, se houver permissividade a estas cenas tristes.

Os espectadores querem garantias para a sua integridade. E deixarem de afluir aos recintos desportivos será a forma de protestarem contra essas situações negativas, com penalizações naturais para os clubes que, além de ficarem sem apoio dos seus adeptos, terão dificuldades nas suas receitas, sem a venda de ingressos.

O Libolo e o Kabuscorp do Palanca têm condições para amanhã proporcionarem um espectáculo que satisfaça os anseios do público. Mas tal tem de ser debaixo de um clima de tranquilidade, sem nuvens de medo a pairarem sob o estádio de Calulo.

Nunca é demais, pois, apelar-se ao bom senso dos adeptos e fair-play dos jogadores, para que um jogo de futebol se torne, também, num bom momento de convívio entre os angolanos, noves fora as rivalidades existente entre determinados clubes.

Últimas Opinies

  • 18 de Julho, 2019

    Final interessante

    Um mês depois de fortes emoções vividas nos estádios e em outros espaços fora e longe dos centros de disputa,  vamos ter,  finalmente,  amanhã dia 19, o cair do pano da XXXII edição do Campeonato Africano das Nações de futebol, organizado pelo Egipto.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    A dvida de Akw

    O dia 8 de Outubro de 2005, ficará para sempre gravado na história do desporto angolano e do futebol em particular.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    Assim no est nada bom

    Depois da decepção que foi a participação dos Palancas Negras no Campeonato Africano das Nações, que ainda decorre no Egipto, com encerramento previsto para amanhã, 19 de Julho, pensei que a paz voltaria, quanto antes, a reinar no “quintal” do futebol doméstico, de si já prenhe de problemas.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Uma seleco coxa sem craques de elite

    A qualidade  dos jogos dados a ver pelos Palancas Negras no CAN do Egipto, mostrou, mais uma vez, que não temos um estilo que nos identifica em termos de estilo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

Ver todas »