Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Mangas arregaadas

15 de Junho, 2016
A euforia da fase final do Bic-basket, aos poucos está a esfumar-se, e agora as atenções em relação ao basquetebol centram-se na preparação da pré-selecção nacional que ensaia a estratégia de actuação para o pré-olímpico da Sérvia, no próximo mês, que pode ser decisiva para as aspirações de Angola, na procura de um lugar na cimeira olímpica do Rio de Janeiro, em Agosto.

Alguns dos jogadores que desfilaram na terceira fase do campeonato nacional, entraram nas contas do seleccionador nacional Carlos Dinis, o que significa que a prova serviu de pré-estágio.Angola parte para a Sérvia, para uma competição complexa, em que o objectivo de chegar aos Jogos Olímpicos passa pela superação de dois colossos do basquetebol mundial, a Sérvia, que joga como país anfitrião, e Porto Rico, que a nível mundial tem dado cartas.

Ainda assim, há uma ponta de esperança a iluminar as pretensões dos angolanos, que de modo algum devem atirar a toalha ao tapete, sem começar a competição.No desporto, a imprevisibilidade quebra muitas vezes os vaticínios, e as grandes selecções tombam, e sentem o amargo de resultados inesperados. Com a recuperação dos atletas, após um período de competição desgastante, o conjunto prepara o estágio em Espanha, onde procura diante de adversários de peso, a forma desportiva para chegar ao palco dos jogos, com o entrosamento necessário.

Os internacionais Yanick Moreira e Olímpio Cipriano foram os grandes ausentes na primeira sessão de treinos, e não apresentaram qualquer justificação, espera-se que o façam quando se apresentarem, porque tiveram conhecimento em tempo oportuno do arranque dos trabalhos de preparação. A Selecção Nacional é um projecto sério, de todos nós, em que a disciplina deve estar presente sempre, para que a anarquia não se instaure no grupo, e o balneário viva dia e noite debaixo de um clima de harmonia.

Para este torneio pré-olímpico, o técnico Carlos Dinis não abdica da presença dos jogadores angolanos que evoluem nos Estados Unidos, porque têm requisitos que satisfazem o técnico.Angola volta a disputar um torneio pré-olímpico de basquetebol, depois de tê-lo feito em 2012, para os Jogos Olímpicos de Londres, quando falhou a qualificação directa, tal como sucedeu para esta edição em que foi superada pela Nigéria, no último campeonato continental, competição que apurou directamente o único representante do continente africano.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »