Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Manter o sonho...

04 de Março, 2019
Não obstante a derrota ontem, em casa, o Petro de Luanda mantém intacta a esperança de chegar aos quartos de final da Taça Confederação, a segunda maior prova de clubes de futebol em África, depois da Liga dos Campeões. Os comandados do hispano-brasileiro Beto Bianchi perderam diante do Zamalek do Egipto, equipa com a qual haviam empatado há uma semana, no reduto deste.
Na verdade, depois do amargo de boca que teve na deslocação à Alexandria, reduto da turma do Magreb, esperava-se que os petrolíferos aproveitassem bem o \'factor-casa\' para desforrar-se do empate a uma bola, no duelo em que o golo do Zamalek ocorreu já no período de compensações. E mau grado para quem assim cogitou.
Com a derrota de ontem, frente ao Zamalek, o Petro viu-se relegado para última posição do Grupo D desta 16ª edição da Taça da Confederação, com os mesmos quatro pontos, ficando assim obrigado a vencer os dois derradeiros jogos.
Primeiro, frente o Nasr Hussein Dey da Argélia dia 10, na ronda cinco em casa, e depois, diante do Gor Mahia, no Estádio Internacional dos Desportos Arap Moi, em Nairobi, a 17 deste mês de Março, no fecho das contas desta fase de grupos.
Para já é uma missão um tanto quanto espinhosa para o embaixador angolana nas Afrotaças, mas não impossível. Ocupando nesta altura a última posição do grupo, os tricolores ficam com a sua sorte dependente de terceiros e vai, daí, a necessidade premente de ultrapassar os dois adversários das duas últimas jornadas.
Vale lembrar, nesse particular, que no pontapé de saída desta fase de grupos, o Petro baqueou aos pés da formação do Nasr Hussein Dey da Argélia, com quem perdeu por 2-1, ao passo que na segunda ronda obteve, para o efeito, uma vitória suada sobre o Gor Mahia FC do Quénia pelo mesmo \'score\'. Na ronda três, última do primeiro turno desta prova, voltou obter um bom resultado, empatando 1-1 na casa do Zamalek.
E quando se esperava que a campanha e sonho da presença nos quartos ficasse relançada com os quatro pontos obtidos no primeiro turno, o emblema tricolor do “Eixo-Viário” vê-se, agora, na contingência de ter que carregar no acelerador para atingir o seu objectivo de se qualificar a outra fase. Ainda assim, deverá ter em conta que quer o Nasr Athletic Hussein Dey, quer o Gor Mahia FC, não se afiguram como pêras-doces. Pelo contrário, tanto os argelinos como os quenianos têm olhos postos também na qualificação para o quartos de final de competição.
Por isso, o embaixador angolano nesta competição que dá acesso ao troféu Nelson Mandela e que em termos hierárquicos segue-se à Liga dos Clubes Campeões Africanos, terá uma tarefa ingente nestas duas derradeiras jornadas.
Contudo, o foco desta terceira \'aventura\' do Petro de Luanda na Taça da Confederação está, precisamente, na passagem aos quartos definal, algo que pode efectivar-se com atitude ousada nestes dois últimos jogos. Isto é o que os angolanos esperam...

Últimas Opinies

  • 19 de Setembro, 2019

    Capitalizar os Capitas

    Está na baila o que adjectivo por “Caso Capita”, que até onde sei envolve a direcção do Clube Desportivo 1º de Agosto, o agente do jogador, a Federação Angolana de Futebol e a família de sangue do referido atleta, que até prova em contrário, ainda está vinculado ao clube militar, que o inscreveu para a presente época futebolística.

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Sinto-me bem na província da Lunda-Norte. As pessoas têm sido fantásticas comigo, em todos os aspectos. Têm-me apoiado bastante e, naturalmente, os jogadores, direcção e todos os membros do clube.

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Pensamento de Drogba

    Considerando que a vida é feita de sonhos e ambições, é de todo legítimo o pensamento do antigo internacional costa-marfinense Didier Drogba, em traçar como meta das suas ambições, enquanto homem do futebol, a presidência da Federação Costa-marfinense de Futebol.

    Ler mais »

  • 16 de Setembro, 2019

    O lado difcil do marketing desportivo

    "Do jeito que vocês estão a trabalhar, o marketing desportivo em Angola, muito abaixo da linha da cintura, creio que este é o pior momento possível para se apostar no sector”, desabafou um especialista brasileiro, numa conversa mantida recentemente em ambiente reservado, com um pequeno grupo de jovens empreendedores, que "sonham" fazer grandes negócios através do marketing desportivo.

    Ler mais »

  • 16 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    O Sagrada é um clube com carisma, mística e sente-se isso na província, quer no dia-a-dia com os adeptos, quer no contacto com as pessoas.

    Ler mais »

Ver todas »