Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinião

Mão pesada da FAF

19 de Maio, 2017
A violência nos campos de futebol em Angola bastas vezes é associada a atitudes menos acertadas dos adeptos que, impelidos por frustrações derivadas dos maus resultados dos seus emblemas de coração, partem em direcção a adeptos contrários ou insurgem-se contra os homens do apito, factos que não nos cansamos de condenar.

São atitudes que em nada dignificam o futebol e os espectáculos, e que acabam por criar um clima de insegurança para os pacatos cidadãos que ao deslocarem-se aos recintos desportivos, esperam ver, apenas, bons espectáculos de bola e as suas equipas a triunfar.

Contudo, há também violência que parte de dirigentes desportivos (que por via disso não deveriam ter essa designação), que tomam posições extremas, como aconteceu, recentemente, em Saurimo, quando o quarteto de árbitros e o comissário ao jogo entre o Progresso da Lunda Sul e o 1º de Agosto para o Girabola Zap foram alvo de agressão da parte de dirigentes identificados do clube local, mas que acabaram por ter a devida resposta da parte da Federação Angolana de Futebol.

É que depois de apuradas todas as situações no final do jogo, o órgão respectivo do organismo federativo constatou que os tumultos nos balneários foram protagonizados por dois dirigente locais, que acabaram suspensos por dois anos e seis meses, além de uma multa pecuniária que certamente vai mexer com os bolsos dos dois infractores.

Situações que acabam por manchar o bom nome da instituição, porquanto os dois dirigentes deveriam ser o primeiros a dar exemplo aos jogadores e adeptos do clube, com posições que longe de ser extremas, deveriam levar à reconciliação.A instituição Progresso da Lunda Sul merece o respeito de todos, pelo que posições como essas, da parte de alguns pessoas ligadas à sua direcção ou de um grupo de adeptos não significa que seja caucionada como um todo por todos aqueles que se identificam, de facto, com os objectivos da agremiação.

A equipa está numa fase menos boa no presente campeonato, longe das exibições brilhantes do passado, mas isso deveria servir precisamente para unir dirigentes, treinadores, jogadores e adeptos, e não ver nos homens do apito os”bodes expiatórios” para os seus males.

O representante da Lunda Sul no Girabola já deu muitas alegrias às populações locais, e mesmo com resultados menos conseguidos até agora na presente edição, ainda vai a tempo de poder recuperar, dado que a prova observa neste fim-de-semana o fim da sua primeira volta, e com todas as equipas a prepararem-se para o segundo turno, este sim, que vai decidir a destino de cada uma das 16 equipas.

Últimas Opiniões

  • 25 de Maio, 2017

    FAF é a culpada do insucesso

    O Campeonato Africano das Nações de selecções.

    Ler mais »

  • 25 de Maio, 2017

    Citações

    Nós chamamos atletas que jogam com muita intensidade, são agressivos e bons no jogo aéreo, fizemos as nossas escolhas a pensar na maneira de jogar da equipa rival.

    Ler mais »

  • 25 de Maio, 2017

    Confiança no arranque

    O jogo com o Burkina Faso deve ser o primeiro de uma campanha, que vai compreender outros confrontos tanto em casa como fora, com as outras equipas com as quais reparte o grupo, Botswana e Mauritânia, mas que pode servir para aferir as potencialidades dos Palancas Negras, e esse seu desejode chegar longe nesta fase de apuramento para os Camarões 2019

    Ler mais »

  • 24 de Maio, 2017

    A ficção do desporto nacional prossegue

    “Que importância terá para Angola um milhão de desportistas nesta pobreza do estado das coisas do desporto? Teremos um milhão de crianças a correr a trás de uma bola, talvez, mas não desportistas. Nem atletas. A menos que o enquadramento desses números seja feito por pelo menos algum número de gente capaz, que forma mais gente capaz.”

    Ler mais »

  • 24 de Maio, 2017

    Citações

    O Jordin nesta altura está fora do elenco, mas como sabem, o processo não termina aqui. Há continuidade, tem outras qualificações no futuro, e ele vai ter de estar presente e  empenhar-se para futuramente integrar-se no grupo.

    Ler mais »

Ver todas »