Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Mo pesada da FAF

19 de Maio, 2017
A violência nos campos de futebol em Angola bastas vezes é associada a atitudes menos acertadas dos adeptos que, impelidos por frustrações derivadas dos maus resultados dos seus emblemas de coração, partem em direcção a adeptos contrários ou insurgem-se contra os homens do apito, factos que não nos cansamos de condenar.

São atitudes que em nada dignificam o futebol e os espectáculos, e que acabam por criar um clima de insegurança para os pacatos cidadãos que ao deslocarem-se aos recintos desportivos, esperam ver, apenas, bons espectáculos de bola e as suas equipas a triunfar.

Contudo, há também violência que parte de dirigentes desportivos (que por via disso não deveriam ter essa designação), que tomam posições extremas, como aconteceu, recentemente, em Saurimo, quando o quarteto de árbitros e o comissário ao jogo entre o Progresso da Lunda Sul e o 1º de Agosto para o Girabola Zap foram alvo de agressão da parte de dirigentes identificados do clube local, mas que acabaram por ter a devida resposta da parte da Federação Angolana de Futebol.

É que depois de apuradas todas as situações no final do jogo, o órgão respectivo do organismo federativo constatou que os tumultos nos balneários foram protagonizados por dois dirigente locais, que acabaram suspensos por dois anos e seis meses, além de uma multa pecuniária que certamente vai mexer com os bolsos dos dois infractores.

Situações que acabam por manchar o bom nome da instituição, porquanto os dois dirigentes deveriam ser o primeiros a dar exemplo aos jogadores e adeptos do clube, com posições que longe de ser extremas, deveriam levar à reconciliação.A instituição Progresso da Lunda Sul merece o respeito de todos, pelo que posições como essas, da parte de alguns pessoas ligadas à sua direcção ou de um grupo de adeptos não significa que seja caucionada como um todo por todos aqueles que se identificam, de facto, com os objectivos da agremiação.

A equipa está numa fase menos boa no presente campeonato, longe das exibições brilhantes do passado, mas isso deveria servir precisamente para unir dirigentes, treinadores, jogadores e adeptos, e não ver nos homens do apito os”bodes expiatórios” para os seus males.

O representante da Lunda Sul no Girabola já deu muitas alegrias às populações locais, e mesmo com resultados menos conseguidos até agora na presente edição, ainda vai a tempo de poder recuperar, dado que a prova observa neste fim-de-semana o fim da sua primeira volta, e com todas as equipas a prepararem-se para o segundo turno, este sim, que vai decidir a destino de cada uma das 16 equipas.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »