Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Memrias do nosso desporto

04 de Maio, 2014
O desporto nacional passou a dispor de uma nova estrutura: a Galeria do Desporto. Uma obra imponente, que foi inaugurada na passada sexta-feira pelo Vice-Presidente da República, Manuel Vicente, e que vai testemunhar o que tem sido o empenho dos atletas nacionais e as suas conquistas, em provas nacionais e internacionais.

É, digamos, uma estrutura que marca a qualidade do nosso desporto, porque a galeria vai receber aquilo que é o trabalho dos atletas angolanos ao longo dos anos. Vai permitir a concentração de medalhas e troféus conquistados por atletas de várias gerações desde que o país se tornou independente, em 1975.

O acervo que está nas vitrinas da Galeria do Desporto andava disperso pelas distintas federações e clubes. Hoje, graças ao empenho do MJD, temos a oportunidade de apresentar aos amantes do desporto, as vitórias alcançadas pelos nossos desportistas. Vitórias esaas que representam um marco importante da história do nosso desporto.

Dizer que o Ministério da Juventude e Desportos ao ter esta iniciativa deu resposta a um vazio que existia no panorama desportivo nacional, não é qualquer ironia, mas apenas realçar que com a criação da estrutura, temos hoje um lugar comum que acolhe os feitos do desporto nacional.

Estão expostos na galeria dos desportos de Angola 50 troféus, a maior parte dos quais retratando as conquistas mais recentes do desporto nacional, com realce para os afrobaskets masculino e feminino, africanos de andebol feminino, desporto adaptado, natação e boxe.

Destaque ainda para exposição do Progresso do Sambizanga, um dos clubes mais antigos do país, fundado a 17 de Novembro de 1975, assim como o exemplar de uma mochila dos atletas da selecção de hóquei em patins que, em 1974, falharam a participação no campeonato do mundo, que devia disputar-se no pavilhão da Cidadela Desportiva. Seria o primeiro Mundial no Continente Africano.

A recolha de todo o acervo estampado nas suas vitrinas foi realizada durante um ano e contou com a contribuição, não apenas das federações nacionais, mas também do Comité Paralímpico, dos atletas e de pessoas individuais.
O principal objectivo é a concentração de medalhas e troféus conquistados pelos nossos atletas nas mais distintas competições internacionais. Contudo, a galeria deve ser potenciada com a presença de jovens, para que se entusiasmem com a prática desportiva e se esforcem numa modalidade, para enriquecer o seu acervo.

O edifício, construído de raiz, além de acolher os troféus e medalhas tem a particularidade de poder também acolher eventos desportivos. É, podemos dizer, um valor acrescentado para o nosso desporto.

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »