Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Misso dos Palanquinhas

07 de Março, 2019
A selecção nacional de futebol em Sub-17 volta a jogar hoje no Torneio Internacional de Desenvolvimento, na Turquia, diante do Senegal depois de na estreia, na passada terça-feira, ter perdido com o Montenegro. Com ambições modestas, os Palanquinhas tomam parte deste torneio com objectivo mais voltado para a rodagem do grupo, tendo em vista outros compromissos em agenda.
Seja como for, na mesma é importante primar por um desempenho exemplar, que tenha reflexos numa classificação que não belisque a imagem e o prestígio do futebol angolano. À partida, participam no torneio selecções de países com forte tradição no futebol mundial, prevendo-se, à despeito disso, que a disputa não venha ser fácil.
Ainda assim, haverá toda a necessidade de fazer o possível e o impossível, a ver se consegue alcançar algum equilíbrio nos resultados. Pois, uma coisa é empatar ou perder por margem mínima, outra é se converter numa presa fácil, para os demais concorrentes. Esta última condição é que não esperamos, tampouco esperam o próprio Paulo Gonçalves e sua rapaziada.
Mas o contacto a ser estabelecido, com equipas mais rodadas, porque nos seus países há disputa regular de campeonatos nos escalões inferiores, será de extrema importância para a busca de rodagem e maturidade que se pretende, para fazer face às obrigações do Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Abril próximo na Tanzânia.
De resto, com as dificuldades financeiras enfrentadas pelas federações nos tempos que correm, situação que obriga a participar em competições muitas vezes sem possibilidade de estágios pré-competitivos, diríamos que o Torneio Internacional de Desenvolvimento da Turquia veio apenas a calhar, com vantagem do calendário também facilitar, já que o intervalo de uma a outra prova será mínimo.
No CAN, Angola tem como meta passar a primeira fase e tentar alcançar uma classificação mais honrosa, que deverá se situar entre os quartos-de-final ou as meias-finais, sem que estejam proibidos a sonhar mais para lá. E é bom que o pensamento seja este, positivo. Pois, só quem pensa vitorioso é capaz de superar obstáculos e ir competitivamente mais além.
Será importante lembrar, que o CAN da Tanzânia qualifica para o próximo campeonato do mundo. Ou seja, os primeiros quatro classificados, o mesmo equivale em dizer os semi-finalistas, vão representar o continente africano no Mundial da categoria, a disputar-se em Setembro próximo, no Perú. No CAN, Angola está inserido no Grupo A, ao lado das congéneres do Uganda, Nigéria e da própria Tanzânia.

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »