Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Mundial de pesca

27 de Março, 2015
A grandeza de um país não se mede, apenas, nos títulos conquistados. Os eventos que realiza também têm um peso importante no prestígio que alcança na arena internacional. Angola tem um rico historial, em função dos eventos internacionais nas mais distintas modalidades que vem realizando de um tempo à esta parte.
Depois do Torneio Pré-Olímpico, em andebol, que o país albergou de 19 a 21 do corrente e que apurou o representante africano aos Jogos Olímpicos do Brasil, Angola está novamente no centro das atenções.

Desta vez, cabe à pesca desportiva mostrar a hospitalidade do nosso povo, com a realização do Campeonato do Mundo a disputar-se de 28 do corrente a 4 de Abril, na cidade do Lobito, província de Benguela.

O empenho da comissão organizativa, na criação de condições para que o Campeonato do Mundo de pesca desportiva ao corrico de alto mar decorra sem sobressaltos, é um facto, como disse recentemente o capitão do conjunto nacional, Rogério Matos. A organização tem estado a aprontar todos os aspectos para realização de uma prova exemplar.

Angola é detentora do título conquistado em 2014, no Rio de Janeiro, no Brasil, pelo que o objectivo principal passa pela revalidação do troféu. A avaliar pelas condições de treino colocadas à disposição do combinado nacional, estamos em crer que a consumação deste objectivo pode ser perfeitamente atingido.
O Campeonato Mundial vai ser disputado por nove nações, que perfazem 14 equipas. A organização conta com a África do Sul (1), Alemanha (1), Angola (2), Brasil (2), Croácia (1), Espanha (1), Itália (2), México (2) e Senegal (2).

Desse leque de participantes, os sul-africanos seguem a rota de navegação dos angolanos nas águas do mar de Benguela, prometem travar “grande despique”, relativamente à procura de espaço com mais peixes de bico, pelo facto do seu tripulante, Carlos Moran, dominar na totalidade a região pesqueira do Lobito.
Os sul-africanos, a exemplo de outras selecções participantes, têm fortes ambições no campeonato que amanhã inicia no Lobito. Contudo, o nosso objectivo é vencer a prova, de modos a mantermos o título conquistado o ano passado no Brasil.

Temos conhecimento da difícil empreitada do conjunto angolano, em função dos objectivos traçados pelas selecções presentes no evento. O evento vai decorrer em solo nacional, motivo que reforça o nosso favoritismo.

O País comemora no próximo 11 de Novembro 40 anos, desde que se tornou independente. Uma data que marca uma viragem decisiva no processo de desenvolvimento do País. Esta edição do Campeonato do Mundo de pesca desportiva ao corrico de alto mar é mais uma vitória desta conquista.

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »