Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Nada est perdido

12 de Fevereiro, 2017
Ausente há muito da maior competição de clubes da Confederação Africana de Futebol pelo facto de ter demorado muito tempo a regressar à conquista de títulos na competição doméstica, concretamente no Girabola, o campeão angolana tinha e tem plena consciência que esse seu regresso iria acarretar alguns momentos menos bons, como passar por alguns dissabores no jogo da primeira mão, particularmente no concerne à obtenção de um resultado positivo em casa do adversário neste primeiro jogo.

O Kampala City tem dominado o futebol ugandês nos últimos anos, conquistando a liga em 2013, 2014 e 2016. A prestação nas Afrotaças, contudo, tem sido modesta, com a equipa a passar da primeira ronda apenas por uma vez, em 2009, e isso deve motivar a equipa angolana.

Nenhuma derrota é boa, nem mesmo as sofridas por resultados mínimos, como esta que a formação angolana sofreu na capital do Uganda. Mas, o 1-0 com que o 1º de Agosto partirá para o jogo da segunda-mão alimenta fortes esperanças que pode ser perfeitamente revertida, com as devidas cautelas.

É preciso ter em conta que o campeonato ugandês já tem um bom caminho andado, enquanto por cá a competição interna apenas começou a mexer no passado dia 4 com a abertura oficial da nova temporada, que envolveu sempre os vencedores das duas maiores competições do país, Girabola e Taça de Angola, pelo que dá para perceber que em termos de rodagem competitiva o campeão nacional angolana leva uma ligeira desvantagem em relação ao rival.

Uma questão, aliás, que se coloca sempre, aquando da entrada em acção dos nossos representantes nas competições da CAF todos os anos, dado que quase sempre partem com menos jogos nos pés que os seus adversários, na maior parte dos casos com as respectivas competições internas mais adiantadas.

Contudo, há razões para acreditar numa viragem do quadro actual. O factor casa deve ser bem aproveitado pelo conjunto angolano. Garantir a eliminatória diante do seu público deve o lema do campeão angolano para seguir em frente e, desse modo, chegar o mais longe possível na prova que, em última instância, se resume a tentar chegar à fase de grupos.

Últimas Opinies

  • 17 de Agosto, 2019

    Girabola Zap periclitante

    A festa do futebol está de regresso. Com o retorno do Campeonato Nacional da I Divisão, vulgo Girabola Zap 2019/2020, a alegria do povo volta à ribalta e com ela a euforia, a competitividade.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2019

    De volta a febre pelo futebol!...

    Para a alegria dos seus aficionados, está de regresso a maior festa futebol nacional, o Girabola Zap. Uma prova que inflama paixões e leva alegria para os vários estádios espalhados pelo país.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estamos mais preocupados com a integração dos novos atletas  e perceber qual o momento desportivo e a partir daqui,  entrar numa outra fase de desenvolvimento e novamente.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2019

    Baptismo do Wiliete

    Depois da abertura ontem da 42ª edição do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, vulgo Girabola Zap, com o jogo Clube Desportivo da Huíla (CDH) - FC Bravos do Maquis.

    Ler mais »

  • 15 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Se até agora estivéssemos com as estratégias todas consolidadas, com os atletas em boa forma física e excelente dinâmica, podia também nalguns casos.

    Ler mais »

Ver todas »