Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Nada est perdido

05 de Junho, 2017
As derrotas sabem sempre mal, mais ainda quando há objectivos a cumprir numa determinada competição, como é o caso do Recreativo do Libolo, único representante angolano nas Afrotaças, em que compete na Taça da Confederação, e procura o apuramento às meias-finais da prova.

Dividido entre a competição caseira, o Girabola Zap, e a prova continental, os libolenses têm uma grande carga de jogos nos pés, e isso reflecte-se, negativamente nos seus resultados nas duas competições em que estão envolvidos.No Girabola, a equipa de Calulo ocupa o quarto posto, mas perdeu pontos que lhe poderiam catapultar para outros patamares, caso triunfasse em todos os jogos em atraso que teve, em função da sua participação nas Afrotaças. Na Taça da Confederação, o representante angolano começou com o pé direito, mercê de um triunfo caseiro sobre o Al Hilal do Sudão, mas os dois jogos subsequentes não correram a feijão para a equipas que averbou derrotas, primeiro em Alexandria e ontem na Zâmbia.

Ainda assim, nada está perdido para o Libolo. Na segunda volta do seu grupo, o conjunto tem dois jogos em casa e apenas uma deslocação ao estrangeiro, As suas ambições continuam intactas e o grupo apenas depende de si para prosseguir a caminhada na competição.É certo que as duas derrotas tornaram mais difícil o seu apuramento, mas a sua situação não é de modo algum desesperada, porque tem hipótese de chegar ao fim da fase de grupos com o apuramento assegurado.

O importante será agora saber gerir o tempo que tem. Disputar as duas provas, Girabola e Taça CAF não será fácil para a equipa de Vaz Pinto, dado que tem objectivos a cumprir nas duas competições.Para o futebol angolano, será muito benéfico que o Libolo consiga chegar às meias-finais, dado que com isso aumentam as possibilidades de o país ver aumentado a sua presenças nas Afrotaças.

Em momento algum o espírito ganhador da equipa deve ser abandonado, pois, foi com o mesmo que a equipa conseguiu a primeira e únicavitória até agora na competição africana.Os próximos dois jogos serão disputados em Calulo, e o conjunto libolense deve aproveitar essa situação para inverter o quadro actual, regressando às vitórias rumo às desejadas meias-finais da Taça da Confederação. Nada está perdido.

Últimas Opinies

  • 23 de Junho, 2018

    Noites brancas

    O escritor russo Fiodor Dostoievski deu corpo ao fenómeno noites brancas em São Petersburgo, quando em 1848 escreveu um romance com a mesma denominação.

    Ler mais »

  • 22 de Junho, 2018

    A (in) eficcia do VAR

    O VAR, ou, se preferirem, vídeo-árbitro, é a grande novidade do Campeonato do Mundo, que decorre na Rússia, cuja tecnologia foi testada no Mundial de Clubes.

    Ler mais »

  • 21 de Junho, 2018

    No violncia!...

    Ainda está-se por saber se o futebol está propenso à união ou à discórdia entre os membros da sua tribo. À partida, é um fenómeno de massas, com forte tendência de dar lugar a acesas discussões, intermináveis em certos casos, sempre com cada um dos intervenientes a tentar chamar à si a razão.

    Ler mais »

  • 20 de Junho, 2018

    Febre de bola

    O mundial entra hoje no sétimo dia de competição. Irresistível, como sempre, ou não fosse a  maior competição de selecções ao nível do planeta. Mediático, o campeonato do mundo chega a todas às sensibilidades e até pode tornar-se num forte agente da diplomacia mundial, que o digam o chefe da Arábia Saudita presente no jogo de abertura e o presidente Putin da Rússia, no confronto entre os dois países, em que o mandatária da FIFA deve ter servido de medianeiro nas conversas. Do que falaram, eles lá sabem, mas as imagens correram o mundo.

    Ler mais »

  • 19 de Junho, 2018

    Jornada de gritos...

    Quando logo mais as selecções da Rússia e do Egipto descerem ao relvado do Estádio São Petersburgo, estará a começar a segunda jornada da primeira fase do Campeonato do Mundo, que, não sendo cem por cento decisiva, pode, porém, começar afastar a cortina de fumo. Há coisas, que, no desfecho desta ronda, ficarão já clarificadas e outras que se vão manter incógnitas, até aos derradeiros 90 minutos.

    Ler mais »

Ver todas »