Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Notas do ano velho

27 de Dezembro, 2014
De um modo geral, no que as realizações das instituições dizem respeito, o balanço tem-se revelado positivo. Os governantes apesar de reconhecerem que o ano 2014 foi difícil, sobretudo na ponta final, devido à baixa acentuada do preço do petróleo no mercado internacional, falam em cumprimento das principais acções agendadas para a sua materialização.

No sector desportivo, as coisas fugiram um pouco à regra. Dai, o ministro Gonçalves Muandumba considerar negativa a prestação a nível do futebol, a ponto de defender, inclusive, um congresso da modalidade para 2015, de modo a que se possam encontrar soluções conjuntas e acertadas, que ajudem a revitalizar a modalidade.

Mas não estávamos a fazer justiça total, se nos resumíssemos apenas ao que foi ruim, ao que foi negativo, como o caso da selecção de futebol que não se apurou para o CAN da Guiné Equatorial. Afinal, neste ano o país conseguiu no plano desportivo outros grandes feitos que também merecem o reconhecimento e o devido destaque.

As vitórias retumbantes no basquetebol a nível de clubes africanos, através do Interclube, no sector feminino, e do Recreativo do Libolo, no sector masculino. A melhoria na classificação do país a nível dos Jogos da SADC, disputados recentemente em Bulawayo (Zimbabwe), com a conquista de várias medalhas são triunfos que devem ser destacados.

O desporto paralímpico também não deixou os seus créditos em mãos alheias, arrebatou um honroso segundo lugar no Campeonato Mundial de futebol para amputados, disputado no México. Diga-se em abono da verdade, que esteve à beira do pleno, não lhe tivesse cruzado no caminho um adversário na final, a poderosa selecção da Rússia.

Também a pesca esteve em alta ao conquistar o título de Campeão do Mundo.

Agora, na ponta final, ainda temos a nossa corrida de fim de ano, a São Silvestre, na boca do mundo, passe-se a expressão, face ao leque de estrelas que anualmente tomam parte na competição. É certo, que nesta edição podemos não contar com algumas estrelas, ausentes por razões óbvias , mas no leque de corredores estrangeiros constam nomes sonantes, que pela capacidade explosiva, vêm certamente valorizar a competição pedestre que sai à rua, todos os últimos dias de cada ano.

Em breves linhas, podia-se dizer não obstante as enormes dificuldades vividas igualmente pelo desporto nacional, nas mais diversas modalidades, o balanço de 2014 com alguns descontos como convém, pode ser tido como positivo.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »