Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Nova empreitada

13 de Abril, 2016
Quarenta e oito horas depois da derrota diante de um dos seus adversários directos na corrida ao título, o campeão nacional Recreativo do Libolo volta a enfrentar hoje um outro opositor com a mesma pretensão de lhe "roubar" o estatuto que ainda osntenta fruto da conquista do campeonato no ano passado.

O desaire diante dos militares parece ter sido já digerido, a julgar pelas palavras do técnico João Paulo Costa antevendo a partida desta tarde diante do Petro de Luanda, em acerto à quinta jornada do Girabola Zap.

Surpreendido pela portentosa exibição do 1º de Agosto, que vai dando sinais de ser um forte concorrente a ter em conta este ano, o campeão nacional terá agora de correr atrás do prejuízo de ter perdido três pontos na jornada anterior e procurar por um resultado que não lhe deixe ainda mais distante do líder.

Para já, não se esperam facilidades para os pupilos de João Paulo Costa, até porque o adversário desta tarde vem de um resultado galvanizador e vai pretender manter-se na senda das vitórias para também seguir as peugadas do arqui-rival, que leva um certo conforto em relação aos potenciais candidatos ao título.

Depois da eliminação nas eliminatórias de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões, o Recreativo do Libolo direcciona agora as suas baterias para o Girabola, onde tem com missão revalidar o título em sua posse há dois anos consecutivos, depois das conquistas em 2014 e 2015.

O sucesso nas Afrotaças foi efémero, já que após um arranque promissor, em que despachou o campeão da Guiné Equatorial com um agregado de 9-1, esperava-se que desse continuidade da caminhada nesta competição até a entrada na fase de grupos. Infelizmente, as coisas não correram muito bem, pois na eliminatória seguinte a equipa angolana encontrou pelo caminho um colosso de África, o Al Ahly do Egipto.

No confronto entre ambos foi melhor o campeão do magreb que após empate (0-0) em Calulo, e derrota no Egipto (2-0), ficou pelo caminho prematuramente.

Nesta senda, não resta outra saída ao campeão nacional senão concentrar-se nas duas provas internas, Girabola e Taça de Angola, para não ver 2016 a passar em branco. Tendo dois jogos em atraso, um dos quais hoje com os petrolíferos da capital e em face da desvantagem em relação ao líder, é altura de os de Calulo começarem a encetar a recuperação para continuarem a sonhar com o almejado "tri" no Girabola.

O Girabola já vai a meio da primeira volta e embora haja muito campeonato pela frente, resta a João Paulo Costa e pupilos saberem explorar as suas potencialidades e aproveitarem da melhor maneira os pontos fracos dos seus principais adversários e todos outros que vão enfrentar nesta caminhada. Por hoje, a tarefa está reservada ao Petro de Luanda.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »