Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Novo abalo

09 de Junho, 2018
O Kabuscorp do Palanca acaba de sofrer, numa só sentada, mais dois revezes, o que é caso para dizer que, um mal nunca vem só, depois da perda dos primeiros seis pontos pelo \"caso Rivaldo\", como consequência do diferente que opõe o clube do Palanca ao ex-internacional e campeão do mundo brasileiro.
Novamente, por decisão da Federação Internacional de Futebol Associado, com a FAF a dar o devido cumprimento, o Kabuscorp fica mais sem seis pontos no Girabola, devido ao litígio que o envolve com o clube TP Mazembe do Congo Democrático, e que tem a haver com a transferência do antigo craque Tresor Mputo para o Girabola, naquela que foi uma das grandes transferências para o futebol angolano.
Com os casos de incumprimentos da parte da agremiação angolana a chegarem ao órgão reitor do futebol mundial, Angola também acaba por ficar mal na fotografia, até porque a própria FAF também já foi obrigada pela FIFA a zelar pelo cumprimento dos seus contratos, particularmente no \"caso Alhinho\", em que um dos visados foi o já falecido treinador dos Palancas Negras.
O Kabuscorp conseguiu fazer grandes jogadas de marketing com Rivaldo e Mputo no Girabola, pois ambos eram jogadores com préstimos firmados. O primeiro campeão do mundo pelo Brasil e o segundo o melhor jogador africano na altura, o que manteve sempre o nome do clube e de Angola nos noticiários fora do país.
Porém, e porque os contratos devem ser cumpridos dos dois lados, ao perdurar o seu incumprimento pela agremiação do Palanca, é evidente que teria dividendos negativos, reflectidos agora na perda de 12 pontos no presente campeonato.
O horizonte não é nada brilhante para o clube angolano, que a arrastar-se a situação corre o risco até de descer de divisão e mesmo até ficar impedido de participar na maior prova de futebol do país, a igual do que acontece, neste momento, com o Futebol Clube de Cabinda que, sem dinheiro para honrar os seus compromissos, está simplesmente afastado dos palcos futebolísticos.
A todos esses males, junta-se também a proibição da FAF ao Kabuscorp em oficializar novos contratos com treinadores e jogadores, enquanto não solucionar o diferendo com os seus ex-treinadores, entre os quais o técnico Romeu Filemon.
O vento sopra na direcção errada da formação do Palanca. Até bem pouco tempo, o Kabuscorp era uma agremiação que dava mostras de ser uma da mais estáveis em termos financeiros cá da praça, mas os últimos desenvolvimentos colocam-na no patamar de conjuntos pedintes, com calotes às costas.E a procissão parece que ainda vai no adro.

Últimas Opinies

  • 15 de Outubro, 2018

    Herv Renard basta!

    O País nunca engoliu a saída abrupta do treinador francês Hervê Renard, por falta de pagamento dos seus salários. Para os dirigentes do futebol nacional, deixar um treinador ou jogador com dois ou três meses de salário é normal.

    Ler mais »

  • 15 de Outubro, 2018

    Vamos voltar a ter futebol (fim)

    As contas do MINJUD são contas do Estado e para acompanhar o discurso presidencial é preciso serem auditadas e publicadas, dando assim exemplo aos agentes desportivos, cujos duodécimos o próprio Estado ignora como são realmente aplicados, pois, também os clubes e Associações não cultivam a auditoria das suas contas.

    Ler mais »

  • 15 de Outubro, 2018

    Partido MPLA: corrija o que est mal

    Ao contrário do que muitas pessoas pensam ou chegam até mesmo a defender de que o desporto e a política mais do que intrinsecamente separados, devem estar “legalmente” divorciados, devo estar certo ao afirmar que o desporto e a política, são “irmãos gémeos, porém de pais e mães diferentes”.

    Ler mais »

  • 15 de Outubro, 2018

    Se o Presidente prometeu, venham ento os apoios !

    Julgo que não é para politicar , só é para lembrar. No sábado passado - e isto foi notícia neste jornal, o MPLA teve um encontro com dirigentes desportivos para se projectar  futuro melhor desta área social, porque João Lourenço, enquanto foi candidato do MPLA a Presidente da República, já chegou a ter um encontro alargado com os dirigentes, técnicos, agentes desportivos, atletas e Imprensa desportiva, no Centro de Conferências de Belas, em Luanda.

    Ler mais »

  • 15 de Outubro, 2018

    Citaes

    Sinto uma grande honra de estar à frente destes rapazes, diante de um público como este. Obrigado aos jogadores.

    Ler mais »

Ver todas »