Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Novo abalo

09 de Junho, 2018
O Kabuscorp do Palanca acaba de sofrer, numa só sentada, mais dois revezes, o que é caso para dizer que, um mal nunca vem só, depois da perda dos primeiros seis pontos pelo \"caso Rivaldo\", como consequência do diferente que opõe o clube do Palanca ao ex-internacional e campeão do mundo brasileiro.
Novamente, por decisão da Federação Internacional de Futebol Associado, com a FAF a dar o devido cumprimento, o Kabuscorp fica mais sem seis pontos no Girabola, devido ao litígio que o envolve com o clube TP Mazembe do Congo Democrático, e que tem a haver com a transferência do antigo craque Tresor Mputo para o Girabola, naquela que foi uma das grandes transferências para o futebol angolano.
Com os casos de incumprimentos da parte da agremiação angolana a chegarem ao órgão reitor do futebol mundial, Angola também acaba por ficar mal na fotografia, até porque a própria FAF também já foi obrigada pela FIFA a zelar pelo cumprimento dos seus contratos, particularmente no \"caso Alhinho\", em que um dos visados foi o já falecido treinador dos Palancas Negras.
O Kabuscorp conseguiu fazer grandes jogadas de marketing com Rivaldo e Mputo no Girabola, pois ambos eram jogadores com préstimos firmados. O primeiro campeão do mundo pelo Brasil e o segundo o melhor jogador africano na altura, o que manteve sempre o nome do clube e de Angola nos noticiários fora do país.
Porém, e porque os contratos devem ser cumpridos dos dois lados, ao perdurar o seu incumprimento pela agremiação do Palanca, é evidente que teria dividendos negativos, reflectidos agora na perda de 12 pontos no presente campeonato.
O horizonte não é nada brilhante para o clube angolano, que a arrastar-se a situação corre o risco até de descer de divisão e mesmo até ficar impedido de participar na maior prova de futebol do país, a igual do que acontece, neste momento, com o Futebol Clube de Cabinda que, sem dinheiro para honrar os seus compromissos, está simplesmente afastado dos palcos futebolísticos.
A todos esses males, junta-se também a proibição da FAF ao Kabuscorp em oficializar novos contratos com treinadores e jogadores, enquanto não solucionar o diferendo com os seus ex-treinadores, entre os quais o técnico Romeu Filemon.
O vento sopra na direcção errada da formação do Palanca. Até bem pouco tempo, o Kabuscorp era uma agremiação que dava mostras de ser uma da mais estáveis em termos financeiros cá da praça, mas os últimos desenvolvimentos colocam-na no patamar de conjuntos pedintes, com calotes às costas.E a procissão parece que ainda vai no adro.

Últimas Opinies

  • 13 de Agosto, 2018

    Marketing desportivo no vai morrer amanh!

    Que o desporto e o marketing estão numa relação do tipo, “ epá sem ti eu não vivo, e sem você eu não existo”, já algum tempo, isso todos nós sabemos.

    Ler mais »

  • 13 de Agosto, 2018

    Devedores do BPC e o exemplo de Messi

    Não quero citar aqui os nomes, porque quem vive na cidade sabe quem são... mas isto posso dizer: algumas das figuras do nosso desporto nacional, e do futebol em particular, todos eles revelados o ano passado,  numa assustadora lista que veio a público, não se sabe porque engenharia, como tendo afinal contraído créditos agora mal parado, no maior banco público nacional -  e estou a falar do Banco de Poupança e Crédito -  é um assunto, é uma realidade, que vem destapar o véu e dar a ver que há clubes da batota, que só estão na alta roda do nosso campeonato, porque os dinheiros que os sustentam não são honrados.

    Ler mais »

  • 13 de Agosto, 2018

    Citaes

    Muitos clubes participaram nos seus campeonatos locais provinciais, mas não estavam legais do ponto de vista administrativo. Alguns processos podem levar algum tempo e, para não criármos dificuldades, tivemos que devolver.

    Ler mais »

  • 11 de Agosto, 2018

    "Quatro anos sem pena"

    Em duas ocasiões recentes Angola acaba de ver consagrado Demarte Pena em Top Angolano do desporto, enquanto no espaço de menos dum mês arrebatou os Prémios ‘Globo de Ouro’ e ‘Novo Jornal & Expansão’, referentes a 2017.

    Ler mais »

  • 11 de Agosto, 2018

    Maputo o alvo a seguir do pas

    Angola é um país que, desde muito cedo, começou a se afirmar na arena do desporto. Nesse aspecto é conveniente realçar que, logo após a conquista da Independência Nacional.

    Ler mais »

Ver todas »