Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Novo desafio

16 de Outubro, 2017
As senhoras do 1º de Agosto estão de malas feitas para a conquista de mais um título africano, que a partir de amanhã começam a disputar em mais uma edição da Taça dos Clubes campeões, que se realiza na Tunísia.
Enquanto campeão angolano e continental nos últimos tempos, o 1º de Agosto é o grande adversário a abater nas competições em que participa, principalmente a nível do continente, em que a hegemonia do andebol angolano não está em causa.
Internamente, as militares deixam-se bater pelas rivais do Petro de Luanda, emblema que durante muito tempo esteve no topo do andebol africano, no mesmo lugar onde está hoje a formação do rio seco.
Porém, uma coisa é competir em provas domésticas em que as petrolíferas ofuscaram as militares, não têm o mesmo nível competitivo de um campeonato nacional, ou de uma prova continental.
Agora, a jogar ao mais alto nível, as exigências para o campeão continental são maiores, pois, está debaixo dos holofotes gerais, além de fazer jus ao seu estatuto que neste momento é o mais rico em África.
A pressão não deixa de ser muita, a equipa militar já está habituada a estas andanças, mesmo a jogar em ambientes hostis.
Os palcos da Tunísia são demasiados quentes para as equipas visitantes, e isso, tanto no andebol como no futebol ou no basquetebol, e isso viu-se no último Afrobasket em que venceram a competição, na condição de co-organizadores.
Ao assumir esta edição da Taça dos Campeões, os organizadores tunisinos têm em mente, certamente, acabar com a hegemonia angolana que por esta altura tem no 1º de Agosto, o seu mais digno representante.
Tal facto, longe de servir de elemento inibidor para as militares, deve estimulá-las a mais um triunfo.
Como campeão africano, o1º de Agosto assume o lugar de principal favorito, sabe que o trabalho de casa tem de ser bem feito, com o fito de no local da prova estar em condições de dar respostas às adversidades que surgirem pela frente.
O Andebol angolano está representado pela melhor equipa da actualidade, espera-se da equipa militar uma participação à altura do prestígio que o país granjeou, até porque a própria Selecção Nacional tem em vista mais uma participação numa prova de nível mundial, concretamente o Campeonato do Mundo da Alemanha, em Dezembro, pode ser beneficiada se as jogadoras militares estiverem em grande plano na Tunísia.

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »