Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Novos desafios

01 de Janeiro, 2016
O desporto angolano entra hoje, num novo ano, com novos desafios para vencer ao longo do ciclo de dias, que vão cobrir 2016.

Os revezes sofridos durante o ano recém -findo, pertence já ao passado, devem servir de reflexão para as tarefas que os nossos desportistas têm pela frente neste 2016, ainda criança.

A crise económica que o país vive, vai continuar a manifestar-se também no desporto, daí que as limitações e redução de gastos continuem na ordem do dia.

Um dos grandes desafios para o desporto nacional, acontece neste primeiro mês do ano, com a participação da Selecção Nacional de Futebol em mais uma edição do CHAN, prova promovida pela Confederação Africana de Futebol para promover os jogadores que evoluem nos respectivos
campeonatos, e que aguardam por uma oportunidade para sobressaírem. Os Palancas Negras, partem para a edição que tem o Rwanda como palco, com o objectivo de atingir o pódio. A equipa nacional tem na bagagem a experiência que adquiriu na primeira edição, em que chegou à final, sem lograr a conquista do título.

A mudança de técnico à última hora, é tão só um belisco no conjunto nacional, que num grupo na fase inicial em que tem como adversários os Camarões, RDC e Etiópia, mantém a chama de chegar longe. Ainda em Janeiro, o andebol masculino tem também um grande desafio, que passa por chegar ao pódio no Campeonato Africano, para chegar a mais um Mundial.

Tarefa difícil, se admitirmos os constrangimentos que o "sete" nacional viveu, com um atraso na preparação, mas que pode ser resolvida, dada a determinação dos jogadores e técnicos em dignificar da melhor forma, as cores nacionais.
No segundo semestre do ano, Angola participa por direito próprio, em mais uma edição dos Jogos Olímpicos. Com a Selecção Nacional sénior feminina de andebol já apurada, e com o nadador Pedro Pinotes com presença assegurada, o judo, através de Antónia de Fátima e o voleibol de praia a procurar a qualificação nos circuitos que ainda restam, a Selecção sénior masculina de basquetebol ainda tem hipóteses de chegar ao Rio'2016, com tudo a depender da participação no torneio pré-olímpico, dado o facto de não ter conseguido o apuramento directo no último Africano, em que perdeu o título para a Nigéria.

O ano de 2016 começa com muita movimentação para o desporto nacional. O futebol é o desporto das multidões e o CHAN é um grande objectivo, e o andebol masculino que ganha cada vez mais visibilidade. Desafios que podem ser vencidos, e que a acontecer, engrandecem ainda mais o desporto angolano.

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »