Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

O apuro das Prolas

23 de Setembro, 2019
Depois da intensa actividade que teve em Agosto último, em que realizou 15 jogos em 29 dias, e, adicionando a isso, o facto de participar em três provas num périplo que a levou por três continentes e quatro países, a Selecção Nacional de andebol feminina está agora focada na disputa do Torneio Pré-Olímpico. Para o efeito, as Pérolas, designação por que é conhecida o «Sete Nacional» escalam no dia de hoje Dakar, Senegal.
É precisamente na capital senegalesa onde a equipa orientada por Morten Soubak dá início, dentro de três dias, a disputa da única vaga de acesso aos Jogos Olímpicos de Tóquio, Japão, no próximo ano, para o Continente Berço da Humanidade, a África. É uma missão, para já, um tanto quanto espinhosa, e onde efectivamente espera-se que a equipa nacional faça da excelência uma divisa.
Angola busca, em Dakar, a sétima presença consecutiva na maior montra desportiva do globo, daí que antes de escalar hoje a capital senegalesa, depois de passar em trânsito por Lisboa, Portugal, cumpriu várias sessões de preparação no país. No derradeiro treino no país, o foco do conjunto incidiu nos aspectos defensivos, privilegiando os sistemas 6-0 (em que seis jogadoras posicionam-se na linha dos seis metros), bem assim com o 5-1 (uma estratégia em que as atletas adiantam-se ligeiramente para dificultar a circulação de bola das equipas adversárias e facilitar o contra-ataque).
É importante lembrar que na disputa do acesso da vaga que dá direito a competir nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, a Selecção Nacional além de cruzar com a equipa anfitriã, o Senegal, vai também competir com os Camarões e República Democrática do Congo (RDC). Em abono da verdade, o Senegal, que naturalizou algumas atletas para a disputa do Torneio Pré-Olímpico, é inequivocamente o principal oponente de Angola.
Mas como “não há bela sem senão”, isto a fazer fé no velho aforismo popular, o «Sete Nacional» tem de procurar acautelar todas as possíveis adversidades para atingir o seu desiderato de marcar presença pela sétima vez consecutiva nesta grande montra desportiva que representam os Jogos Olímpicos. Essa é a expectativa dos angolanos.
De resto, até quinta-feira próxima, dia 26, em que se dá o pontapé de saída desta disputa do Torneio Pré-Olímpico, Angola que tem disponível para o efeito as atletas Teresa Almeida “Bá” e Helena Sousa (guarda-redes); Albertina Kassoma, Liliana Venâncio e Ruto João (pivôs); Claudeth José, Iracelma Silva, Janeth Santos, Juliana e Vilma Silva (potas), bem assim como Isabel Guialo “Belinha”, Wuta Dombaxi, Helena Paulo, Magda Cazanga e Azenaide Carlos, vai procurar cortar meta a 29 do mês curso à frente das suas adversárias. E caso assim acontece a presença em Tóquio-2020 será um facto.

Últimas Opinies

  • 14 de Dezembro, 2019

    Dcimo lugar reflecte sentido do dever cumprido

    O décimo-quinto lugar conseguido na 24ª edição do Campeonato do Mundo disputado na cidade japonesa de Kumamoto, melhorando o 19º conquistado há dois anos, na Alemanha, constitui uma safra boa.

    Ler mais »

  • 14 de Dezembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Os nossos atletas estão a corresponder com aquilo que nós almejamos, tentar fazer sempre o nosso melhor, no sentido de disputarmos um campeonato tranquilo para que consigamos, também, na parte final do campeonato, termos essa tranquilidade e a permanência assegurada.

    Ler mais »

  • 14 de Dezembro, 2019

    Quem salva o ASA

    Campeão das edições do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão de 2002, 2003 e de 2004, respectivamente, o Atlético Sport Aviação (ASA), um clube cuja existência remonta desde o longínquo 1 de Abril de 1953, corre o risco de extinguir a sua equipa principal.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Vale a pena continuar a acreditar nos nossos representantes?

    A caminho da terceira jornada, os dois representantes angolanos na fase de grupos de Liga do  Campeões Africanos, continuam a decepcionar. Na primeira jornada, os militares perderam dois preciosos pontos na recepção aos zambianos do Zesco United, enquanto os petrolíferos foram goleados por três bolas a zero em casa do Mamelodi Sundowns da África do Sul.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Manter a esperana apesar do mau comeo

    Realizadas as duas primeiras jornadas da Liga dos Campeões Africanos, em que estão envolvidas, em representação de Angola, o Clube Desportivo 1º de Agosto e o Atlético Petróleos de Luanda, reservo-me ao direito de expressar o que penso sobre o desempenho das equipas angolanas, que considero ser deficitário não só em termos dos resultados, mas também da qualidade do futebol apresentado.

    Ler mais »

Ver todas »