Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

O drbi dos drbies

09 de Fevereiro, 2019
As emoções do Girabola Zap, o Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, voltam a estar ao rubro hoje, com a disputa do clássico dos clássicos da prova. As equipas do 1º de Agosto e do Petro de Luanda, por sinal os dois maiores emblemas do desporto-rei no país, são os intervenientes do duelo, que, obviamente, vai arrastar, esta tarde, uma mole considerável de adeptos ao Estádio 11 de Novembro.
Militares e tricolores batem-se, a partir das 16H00\', na nova catedral do futebol nacional, numa peleja em que estão em jogo 27 títulos conquistados, sendo 15 dos petrolíferos e 12 da turma do “rio seco”. É o dérbi dos dérbies da maior prova do nosso “association”, que faz disputar, nesta época de 2018/2019, a sua 41ª edição.
D\'Agosto e Petro chegam, esta tarde, ao septuagéssimo sétimo confronto entre si e com clara vantagem para a formação do Catetão, que soma 31 vitórias, contra 24 dos militares do “rio seco”, além, obviamente, de 22 empates. O 11 de Novembro testemunha hoje mais um dérbi capicua, depois de outros seis que ocorreram durante estas épocas.
E o clássico entre agostinos e tricolores, faz reviver as paixões e emoções como as dos idos anos de 80 e 90, em que pontificavam nas hostes do D\'Agosto nomes como os de Napoleão Brandão, Kapeló, Ângelo Silva, Ndungidi Daniel, Julião Dias, Jaime Chimalanga, Vieira Dias, Alves, e nas do Petro como os de Tó-Zé, Panzo, Mateus Lúcio, Jesus, Lufemba, Chico Afonso, Téolfilo, Saavedra, Abel Campos e tantos outros.
Era uma constelação de jogadores, que levavam os adeptos ao delírio nos vários relvados do país e não só, com um futebol praticado com arte e engenho. Hoje, porém, talento é o que não falta, quer no emblema militar, quer no tricolor. Do lado do 1º de Agosto, hoje orientado pelo sérvio Dragan Jovic, sobressaem nomes comos os do \'regressado\' Ary Papel, Mabululu, Bwá, Dany Massunguna, Bobó, Nelson da Luz, Mingo Bile, Show, Tony Cabaça; ao passo que do lado do Petro, às ordens do hispano-brasileiro Beto Bianchi, Job, Carlinhos, Wilson, Dennis, Nari, Hélio, Tó Carneiro, Vá, o dueto brasileiro formado por Tiago Azulão e Tony, entre outros, constituem o “núcleo duro” de \'artistas da bola\', que podem desfilar neste septuagéssimo dérbi entre militares e tricolores.
Portanto, 1º de Agosto e Petro de Luanda chegam, esta tarde, no 11 de Novembro, em mais um clássico do seu historial, separados por três pontos. Neste momento, os militares estão na liderança do campeonato com 30 pontos, despois de terem “despojado” desta o seu confrade da Huíla, o Clube Desportivo local, que passou agora para o segundo posto, com menos dois. O Petro, por seu turno, entra para este duelo, com 27 pontos, na terceira posição, mas tendo, em contrapartida, mais dois jogos ainda por disputar, contra os militares da Frente Sul, a 16 deste mês e referente a 11ª jornada, e quatro dias depois contra o Sagrada Esperança da Lunda Norte, para sexta ronda. Por ora resta aguardar por este septuagéssimo confronto entre militares e tricolores. Vamos ao dérbi que se espera seja para todos os gostos!!!...

Últimas Opinies

  • 17 de Fevereiro, 2020

    Cartas dos Leitores

    Aproveitamos para encorajar os atletas, à equipa técnica e endereçámos uma palavra directa ao treinador e à Federação.

    Ler mais »

  • 17 de Fevereiro, 2020

    A prata de casa

    Circularam informações nos ‘midias’ e particularmente no nosso jornal, na semana finda, dando conta do possível regresso de Carlos Dinis ao comando técnico da Selecção Nacional de basquetebol sénior masculina.

    Ler mais »

  • 15 de Fevereiro, 2020

    Grandes focados no topo do Girabola

    Depois de verem gorados os seus intentos de chegarem a última etapa da Liga dos Campeões, mais concretamente nas meias-finais, pela fraca prestação conseguida na fase de grupos desta maior prova da Confederação Africana de Futebol (CAF), 1º de Agosto e Petro de Luanda estão agora focados no Girabola Zap.

    Ler mais »

  • 15 de Fevereiro, 2020

    Cartas dos Leitores

    Entramos bem. Criamos oportunidades de podermos sair a ganhar nos primeiros 45 minutos, mas não conseguimos porque o nosso meio campo não conseguia transportar a bola para o ataque. Aliás, não é fácil jogar no campo do Desportivo da Huíla.

    Ler mais »

  • 15 de Fevereiro, 2020

    Problemas de sempre

    Em tempo de crise e em que se recomenda o aperto dos cintos, o nosso desporto vai-se revelando como um «parente pobre» do sector.

    Ler mais »

Ver todas »