Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

O nmero 5.000

24 de Dezembro, 2018
O “Jornal dos Desportos”, título que par do diário “Jornal de Angola”, do semanário “Economia & Finanças, bem assim como dos quinzenários “Cultura, “Jornal Metropolitano de Luanda”, “Planalto” e “Ventos do Sul”, são controlados pela Edições Novembro, chega hoje a edição número 5.000. Inusitado ou não o facto, isto na medida em que cada um fazer o seu julgamento a respeito, a verdade, porém, é que este título é, hoje, uma referência no país, no concernente a abordagens sobre o desporto.
As últimas sondagens feitas colocam este título da Edições Novembro como o segundo mais lido do país, com um percentual de 11,9. O Jornal de Angola aparece a liderar as estatísticas com 23,5 por cento.
A 31 de Janeiro de 1994, quando saiu às bancas a primeira publicação do JD um emaranhado de projectos e ideias rodeavam a estratégia traçada pela direcção deste título. Nesse momento é o único jornal especializado em informação desportiva no país.
Até à fase do seu surgimento no mercado, em 1994, este órgão público de Comunicação Social contava apenas com o “Jornal de Angola”, um dos pilares da imprensa escrita no país. Tão logo chegou às bancas, o JD não precisou de muito tempo para se afirmar.
Resultou, porém, de com um projecto editorial iniciado por nomes de referência do jornalismo desportivo angolano, como os do malogrado Gil Tomás, António Ferreira “Aleluia”, actual director de Marketing, Fontes Pereira, Salas Neto e outros. O nome de Victor Silva, actual presidente do Conselho de Administração da Edições Novembro, não se dissocia do destes jornalistas que deram corpo ao projecto de lançamento do JD.
Foi o primeiro o director do título, cedendo depois o lugar a Policarpo da Rosa, em 1997, e este, por seu turno, a Matias Adriano, que se mantém em funções.
Portanto o JD chega a edição número 5.000, num momento particularmente difícil se atendermos ao facto de que por razões de força maior teve passar de diário para tri-semanário, sendo editados nos dias segunda, quinta-feira e sábados, respectivamente.
A sua história na imprensa angolana começa como um título semanário, passando depois para bi-semanário até atingir o estatuto de diário em Agosto de 2007, um feito até então consumado apenas pelo generalista “Jornal de Angola”. Hoje, porém, fruto do momento menos bom que o país enfrenta, derivado da presistente baixa do preço do petróleo no mercado mundial - não obstante algumas oscilações de subidas -, a direcção do título viu-se forçada a passar-lhe de diária a tri-semanário, faz algum tempo, ocorrendo, inclusivamente, casos em que passou também a bi-semanário.
Isso, porém, não inviabiliza a entrega dos profissionais deste título no que toca informação. E Fazem-no sob o manto de muito sacrifício, espinhos e não poupando, daí, esforços, para que o JD chegue regularmente às bancas para alegria do público. Enfim, chegar a edição número 5.000 é uma verdadeira obra. O resto vem por acréscimo...

Últimas Opinies

  • 14 de Outubro, 2019

    Objectivo alcanado

    Terminou na passada sexta-feira, em Benguela, o Campeonato Africano de futebol para amputados, que durante dias a fio juntou naquela cidade do litoral angolano seis países, sendo cada qual com a sua capacidade competitiva, com a sua ambição e com a sua meta estabelecida no certame.

    Ler mais »

  • 14 de Outubro, 2019

    Mais um campeonato sem clima de Girabola!

    Já se tornou costume dizer-se, que os campeonatos de futebol da primeira divisão, não importa o país em que se realiza, devem dar aos prosélitos e amantes do futebol o que eles mais querem ver.

    Ler mais »

  • 14 de Outubro, 2019

    Devolver o basquetebol aos seus

    Ver um clássico do basquetebol nacional hoje as vezes dói. Continua a ter alguns bons executantes é verdade. Carlos Morais,Valdelicio, Armando Costa e uns poucos são ainda os tais que nos mantém nos sofás.

    Ler mais »

  • 12 de Outubro, 2019

    Os nossos embaixadores e a lotaria da Champions

    Há quase 40 anos a participar nas provas da Confederação Africana de Futebol (CAF), nesta época, pela primeira vez na história, o desporto-rei no país testemunha a presença simultânea de duas equipas angolanas na fase de grupos da maior prova de clubes continental.

     

    Ler mais »

  • 12 de Outubro, 2019

    possvel o 1 de Agosto e o Petro chegarem l!

    A entrada dos dois colossos do futebol angolano, para a fase de grupos da Liga dos Campeões Africanos, é um feito transcendente e que pode despoletar outros benefícios mil, se tivermos em conta toda a avalanche de interesses que encarna as hostes de um e de outro que, decididamente, partem em busca da conquista da África do futebol.

    Ler mais »

Ver todas »