Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

O novo ciclo olmpico

11 de Janeiro, 2020
Face à realização de 24 de Julho a 9 de Agosto do corrente ano dos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão, a Direcção Nacional dos Desportos (DND) estipulou um calendário para realização de eleições de renovação de mandatos, que deve ser seguido pelos clubes, Associações Provinciais e Federações. A medida visa, sobretudo, a realização dos pleitos dentro dos prazos legais e, como óbvio, antes das Olimpíadas.
Para o efeito, o organismo admite abrir excepções para que as Federações, cujas modalidades vão disputar os Jogos Olímpicos deste ano, realizem eleições numa data mais conveniente e não para as demais que não farão parte da festa de Tóquio.
Nesse sentido, a Federação Angolana de Futebol (FAF) é uma das que não beneficiará da tolerância a ser dada, já que a Selecção Nacional de Sub-23 não logrou o apuramento para o maior evento desportivo do Planeta. Uma posição que acaba por ser justa.
Nicolau Daniel, homem que dirige a Direcção Nacional dos Desportos, esclareceu, nesse sentido, que as eleições têm de ser primeiro em todos clubes, seguindo-se depois nas Associações Provinciais, que antecedem aos pleitos nas respectivas Federações.
Na sugestão apresentada pelo organismo, estabelece-se os períodos de Janeiro a Março para as eleições a nível de todos clubes nacionais, de Abril e Maio para as Associações Provinciais, e só posteriormente nas Federações, mas dentro dos prazos que antecedem as Olimpíadas. Porém, as datas parecem causar algum mal-estar no seio destas.
E, replicando este aspecto, o director nacional dos Desportos enfatiza que apesar de a lei não estabelecer um calendário para realização das eleições, ainda assim a preocupação do organismo é que quem vai votar tem de estar organizado para o efeito. E é legítimo que assim seja.
É neste sentido, que Nicolau Daniel revela que o futebol, por se tratar de modalidade-rainha, deve servir de exemplo para as demais. É por essa via que a FAF é chamada para tomar a dianteira desse processo de renovação de mandados.
Vale lembrar, nesse particular, que a lei 6/14, de 23 de Maio, das Associações Desportivas, estabelece no ponto 1 do seu artigo 11, que o mandato dos integrantes dos órgãos sociais das associações desportivas tem duração de quatro anos. Esclarece ainda, neste contexto, que os quatro anos aqui referenciados são renováveis e coincidem com o Ciclo Olímpico. Por esse motivo, a circula nº 35/DND/2019, de 19 de Novembro de 2019, dá conta que todas Federações são chamadas para o desenrolar deste processo.
As Federações nacionais receberam todas a referida notificação, mas ainda assim e como refere Nicolau Daniel, o tratamento especial deverá ser dado apenas em algumas destas, que nesta altura as respectivas modalidades estão concentradas com a participação nos Jogos Olímpicos. A grande excepção deve ser dada a estas e a Direcção Nacional dos Desportos está disponível para lhes dar ouvidos. Por ora, resta-nos aguardar pela renovação de mandados nos respectivos órgãos sociais destas…

Últimas Opinies

  • 20 de Janeiro, 2020

    Deixem a Marximina regressar

    Olhei para o tempo que já passou desde a suspensão da árbitra Marximina Bernardo, acabou penalizada pela Federação Angolana de Futebol (FAF), sobretudo porque, em minha opinião, este órgão hesita em não condescender exagerada decisão que então tomou, quando para “homens do apito” as punições quase que sabem a flores.

    Ler mais »

  • 20 de Janeiro, 2020

    Cartas dos Leitores

    O orçamento não varia muito dos anos anteriores. Podemos dizer que é ligeiramente superior a dois milhões de dólares por ano. Este é o valor que temos consagrado para o Sagrada Esperança.

    Ler mais »

  • 20 de Janeiro, 2020

    Regatas para Tquio

    Marcado por aceso despique, o Campeonato Africano de Vela nas classes 420 e 470, realizado de 13 a 18 do corrente mês na Contra-Costa da Ilha do Cabo, em Luanda, confirmou mais uma qualificação de Angola à maior montra desportiva do globo.

    Ler mais »

  • 18 de Janeiro, 2020

    Welwitschias voltam a dar o ar da sua graa

    Depois da “travessia do deserto” por que passou nos últimos tempos, obrigando a ficar inactiva, a Selecção Nacional de Futebol feminina pode testemunhar um novo ciclo no ano que dá ainda os seus primeiros passos.

    Ler mais »

  • 18 de Janeiro, 2020

    Futebol feminino busca resgate da mstica

    Já houve tempos que o futebol feminino era de facto uma festa cá entre nós, pois inflamava paixões e, de facto arrastava multidões.

    Ler mais »

Ver todas »