Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

O sonho comanda a vida

02 de Dezembro, 2017
O sete nacional tem hoje pela frente a similar de Espanha na jornada inaugural do Grupo A do Mundial, que se disputa na Alemanha, de ontem até ao dia 22 de Dezembro. É um grupo complicado para as campeãs africanas, mas só nos tornamos fortes a defrontar equipas fortes.
É consensual, que não temos condições de disputar os lugares cimeiros da prova, porém, não nos podemos inibir de encarar olhos nos olhos as outras equipas, dado que temos maturidade competitiva para não temer quem quer que seja.
Quem já foi sétimo numa edição, pode e deve alimentar a possibilidade de ir mais além. É um sonho, no entanto, que deve ser alimentado jogo a jogo, jornada após jornada.
As adversárias têm outra carga competitiva nas mãos, provas domésticas mais disputadas com mais de dez equipas, por exemplo, assim como o torneio continental tem outra expressão competitiva, se comparado com o nosso Campeonato Africano de Andebol.
Essas situações acabam por reflectir-se na qualidade das selecções. Nós temos talentos, já provamos isso bastas vezes, em África e no Mundo. Mas o desporto é dinâmico, há saída e entrada de atletas, e isso, acaba por prejudicar a nossa selecção dado que não dispõe das mesmas condições das nossas adversárias.
Para atenuar tudo isso, temos felizmente um treinador experimentado, campeão do mundo com o Brasil, que pode trazer-nos alguma mais-valia. É nele, que depositamos a expectativa de podermos fazer um resultado semelhante ao de 2007, em França. O sonho comanda a vida, nada nos impede por isso de acreditar, ainda que de maneira consciente saibamos das nossas dificuldades.
Foi assim em 2007, a vitória sobre a França parecia impossível, mas aconteceu quando sob comando de Jerónimo Neto “Jojó” o país fez furor, naquela que é a melhor classificação de sempre em campeonatos do mundo.
E, se dúvida houvesse, Angola chegou ao sétimo lugar. Todas as previsões ditadas na altura caíram por terra. Por que não acreditar nessa possibilidade outra vez? Sonhar não é proibido. Morten Souback quer deixar a sua marca à frente das pérolas africanas, e estas apesar da renovação que estão a sofrer com a saída de umas e a entrada de outras, também querem continuar a fazer história para mostrar por que razão são campeãs das campeãs em África. Boa sorte Angola.

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »