Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

O sonho dos grupos

24 de Agosto, 2019
Após as vitórias extramuros nas deslocações à Tanzânia e ao Lesotho, o 1º de Agosto e Petro têm, neste fim-de-semana, a oportunidade soberana de confirmarem a qualificação para última eliminatória de acesso a fase de grupos da Liga dos Campeões Africanos. Para tal, basta-lhes manter a eficácia demonstrada nos jogos da primeira “mão” da preliminar frente ao Kikoso Maalum Cha Kuzuia Magendo FC e o Matlama FC, em que venceram em Unguja, no arquipélago tanzaniano de Zanzibar, e em Maseru, curiosamente por 2-0. Tal como ocorreu há duas semanas, o campeão nacional, 1º de Agosto, vai ser o primeiro a entrar em acção. Os comandados de Dragan Jovic, que na primeira “mão” venceram graças aos golos de Ary Papel e Lionel Yombi, têm tudo a sua mercê para esta tarde, no Estádio 11 de Novembro, repetirem a façanha alcançada em Unguja, há 15 dias.
Jogando em casa e empurrados pelo calor dos seus adeptos, os militares do “Rio Seco” espreitam frente ao Kikoso Maalum nova eficácia, para transporem a fase seguinte.
E isso, como é óbvio, pressupõe a conquista de um bom resultado frente a esta equipa do KMKM para, assim, levarem a água a seu moinho. A turma agostina teve uma eliminação inesperada na sua anterior campanha, em que não conseguiu passar da fase preliminar, fruto do afastamento diante do “desconhecido” AS Otôho do Congo Brazzaville.
O D’Agosto, que, tal como na presente edição, havia começado com uma vitória de 4-2 sobre o seu oponente em casa, mas depois baqueou aos pés deste em Brazzaville, com uma derrota de 0-2, que abriu o caminho para o AS Otôho seguir em frente.
É verdade que, uma época antes, o embaixador angolano havia protagonizado uma campanha brilhante na “Champions League”, tirando do caminho adversários de prestígio africano, como o Todo-Poderoso Mazembé do Congo-Democrático. Chegado às meias-finais, frente a outro adversário de peso, no caso o Esperánce de Tunis, acabou prejudicado pelo árbitro zambiano Janny Sikazwe, que com uma actuação vergonhosa, entregou de bandeja a qualificação para final ao emblema da Tunísia. Por isso, esta tarde frente à equipa tanzaniana, o D’Agosto vai querer refazer a história e, quiçá, fazer uma “aventura” nesta maior prova de clubes do continente, capaz de colocar de novo o seu nome em páginas douradas. É uma questão de se aguardar por esta nova caminhada agostina, que começa diante deste ignoto Kikoso Maalum da Tanzânia.
A sonhar com a fase dos grupos da Liga dos Clubes Africanos, está também o Petro de Luanda, que abriu uma vantagem sobre o Matlama FC do Lesotho, ao passar incólume no jogo da primeira “mão”, em Maseru, casa do adversário, com vitória de 2-0, com golos de Manguxi e Isack Mensah. E é legítima a pretensão dos tricolores.
A jogar em casa, a equipa do “Eixo-Viário”, tal como o 1º de Agosto, tem condições mais do que suficientes para se impor perante este desconhecido Matlama FC. Porém, depois de alcançar uma vitória em casa deste, é de esperar que, na tarde de amanhã, domingo, igualmente no 11 de Novembro, o Petro de Luanda faça da excelência uma divisa, algo que se consolida com a mesma proeza alcançada em Maseru. É de resto, um objectivo que os pupilos de Tony Cosana têm bem delineado e que por isso não vão conceder quaisquer facilidades à formação do Lesotho. A ver vamos!!!...

Últimas Opinies

  • 11 de Novembro, 2019

    O sabor da Dipanda

    O 11 de Novembro é uma data que representa um verdadeiro símbolo da identidade dos angolanos e do país, em si, desde que se libertou das amarras do regime colonial. Portanto, há 44 anos, num dia como hoje, o saudoso Presidente Doutor António Agostinho Neto proclamou perante a África e ao Mundo a Independência Nacional.

    Ler mais »

  • 11 de Novembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Acho que a condecoração vem em boa hora. Devia haver melhor critério, mas não deixo de louvar a atitude do Presidente da República. (...)

    Ler mais »

  • 11 de Novembro, 2019

    Denncias, SIC e PGR

    Certa vez, sem receio de punição, a demonstrar que tinha algum trunfo na manga para provar, o então presidente de direcção do Recreativo do Libolo, Rui Campos, chegou a acusar que os árbitros indicados pelo Conselho Central de Árbitros da Federação Angolana de Futebol manipulavam os jogos e resultados da equipa de Calulu, no sentido de, na altura, impedir a revalidação do título.

    Ler mais »

  • 09 de Novembro, 2019

    Festa da Dipanda e os feitos desportivos

    Angola assinala dentro de sensivelmente dois dias 44 anos desde que se libertou das amarras do regime colonial.

    Ler mais »

  • 09 de Novembro, 2019

    Desporto de unio nos 44 anos da Nao

    Hoje, como não podia deixar de ser, neste espaço escrito “A duas mãos”, acordamos em falarmos da trajectória do nosso desporto, ao longo dos 44 anos de Independência que o País tem.

    Ler mais »

Ver todas »