Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

O sorteio da Liga

07 de Outubro, 2019
Os dois “embaixadores” angolanos nas Afrotaças, o 1º de Agosto e o Petro de Luanda, conhecem esta semana os seus respectivos adversários na fase de grupos da Liga dos Clubes Campeões. Para já, é com redobrada expectativa, que se aguarda o sorteio da próxima quarta-feira, na cidade do Cairo, a capital Egipto, desta competição em que pela primeira vez o país se faz representar por duas equipas.
Quer a formação do “Rio Seco”, quer a do “Catetão”, por sinal os dois maiores emblema do futebol angolano, já que coleccionam juntos 28 títulos - sendo 13 para os comandados do sérvio Dragam Jovic e15 para os do espanhol Toni Cosano -, vão mais uma vez tentar dignificar o nome do país nesta maior prova de clubes de África.
É ponto assente que depois do brilharete assinalado em 2018, nesta “Champions League”, o 1º de Agosto almeje mais uma vez atingir altos níveis nesta prova da Confederação Africana de Futebol (CAF). Embora tenha perdido há duas semanas em Luanda por 1-0 com o Green Eagles, um adversário a quem tinha vencido dias antes no Estádio Nkolama, na capital zambiana, por 2-1, a equipa militar conseguiu, com efeito, assegurar o passe para a fase de grupos, fruto dos dois golos apontados em Lusaka.
Para lá disso, nesta edição da “Champions” o 1º de Agosto, que além do Green Eagles da Zâmbia havia antes, na primeira eliminatória, afastado o Kikoso Maalum Cha Kuzuia Magendo FC da Tanzânia com um agregado de 4-0 no cômputo das “mãos”, vai tentar evidenciar uma postura diferente da sua campanha anterior. Por essa razão, cautelas é o que se recomenda nesta fase grupos, para não experimentar dissabores como o que teve aquando da eliminação inesperada, na preliminar da anterior edição frente ao “desconhecido” AS Otôho do Congo Brazzaville. Aliás, chegados aos grupos o D\'Agosto, tal como Petro, vai procurar fazer boa figura.
O Petro, que regressa à elite dos grupos da Liga dos Campeões 18 anos depois, espreita fazer história, tal como ocorreu na sua primeira participação nesta maior prova de clubes da CAF. Os tricolores, que à semelhança do rival do “Rio Seco” afastaram na preliminar da corrida aos grupos o Matlama FC do Lesotho com um agregado de 4-0, no cômputo das duas “mãos” na derradeira eliminatória beneficiaram-se do empate a um tento no Uganda frente ao Kampala City local, depois do nulo verificada no jogo de Luanda.
No sorteio que acontece dentro de dois dias no Cairo é ponto assente que quer o 1º de Agosto, quer o Petro, fiquem entrincheirados no pote 4, reservado às equipas em teoria menos cotadas entre as 16 que asseguram o passe para os grupos, e onde também devem estar perfilados o FC Platinum do Zimbabwe e o JS Kabylie da Argélia.
As restantes equipas qualificadas para esta etapa ficarão distribuídas pelos Pote 1 (Esperance de Tunis da Tunísia, TP Mazembe do Congo Democrático, Wydad Athletic Club do Marrocos e e Al Ahly do Egipto) ; Pote 2 (Étoile du Sahel da Tunísia), Mamelodi Sundowns da África do Sul, Zamalek do Egipto e Raja Casablanca do Marrocos); e finalmente no 3 - (USM Alger da Argélia, Zesco United da Zâmbia, AS Vita Club do Congo Democrático e e Al Hilal do Sudão), respectivamente.

Últimas Opinies

  • Hoje

    Sarav Alves Simes

    Dada a força que o futebol representa no universo desportivo, seguramente que depois do jogo de ontem, entre as selecções nacionais de Angola e da Gâmbia, pontuável para o apuramento ao CAN de 2021, o tema de eleição para a edição do Desporto no texto seria, sem margem para dúvidas, as incidências do referido jogo.

    Ler mais »

  • Hoje

    Cartas dos Leitores

    A avaliação que faço da nossa participação no Campeonato do Mundo Sub-17 é positiva, porque estivemos bem, apesar de não termos atingido outros níveis, como os quartos-de-final. Tivemos orgulho em representar o país.

    Ler mais »

  • Hoje

    Os semi-finalistas

    Hoje, depois de semanas de enorme refrega nas quadras , o campeonato do mundo de futebol de Sub-17 tem a honra de definir os finalistas, quando se disputarem os dois jogos correspondentes às meias-finais. Brasil-França e Holanda-México são as quatro selecções, que sobreviveram a um crivo em que outras 28 acabaram devolvidas a casa.

    Ler mais »

  • Hoje

    Derrota frustra adeptos

    O público correspondeu de forma positiva a chamada para estarem presente no Estádio 11 de Novembro. Nem a hora do jogo e muito menos a chuva que caiu em alguns bairros de Luanda inibiu a vontade de transmitirem o calor a sua selecção. Humilhados pelo resultado, mas consciente pelo dever cumprido os adeptos mereciam prenda melhor.

    Ler mais »

  • 11 de Novembro, 2019

    Em defesa do basquetebol

    A crise do basquetebol não pode ser varrida para o debaixo do tapete, como se de uma falta não assinalada numa partida se tratasse. É a maior crise que se assiste nos últimos vinte anos na modalidade.

    Ler mais »

Ver todas »