Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Objectivo cumprido

20 de Agosto, 2017
Uma qualificação assegurada com algum sofrimento à mistura, o que desde já confirma as dificuldades que o conjunto malgaxe criou aos Palancas Negras, marcadamente ansiosos por regressar a mais uma final continental e, por via disso, penalizados pela demora em assegurar a vitória sem muito sofrer.

Ainda assim, terrível não foi sofrer. Terrível, era sim, perder em casa, \"morrendo na praia\", como se diz na gíria, após em casa do adversário ter alcançado um resultado animador, um empate mesmo sem golos.

A trajectória dos Palancas Negras para garantir o seu terceiro CHAN não foi em termos exibicionais famosa. Mas, o facto da selecção ter um novo treinador que precisa de tempo para impor a sua filosofia de jogo pode ter contribuído para isso.

Uma equipa não se ganha num dia. É preciso tempo para automatismo, para os jogadores conhecerem-se entre si, e este é um processo quando bem oleado dá, naturalmente, os seus frutos.

Os angolanos esperaram, ansiosamente,por esta qualificação, que pôs termo a uma fase menos boa do futebol nacional, com o conjunto nacional perdido nas competições em que esteve engajado, tanto para a maior cimeira do continente, como na corrida para os Campeonatos do Mundo.

É certo que este apura mento representa, apenas, um regresso ao grupo das melhores selecções, a este nível, mas com tal feito pode-se ganhar, de novo, a auto-estima, perdida ou muito em baixo, mais causa dos resultados menos conseguidos.

Numa altura em que o novo elenco federativo projecta o resgate da mística do futebol nacional com um melhor posicionamento no ranking internacional, o apuramento ao CHAN pode bem ser o trampolim para atingir esse objectivo.

A festa da qualificação junta-se, pois, ao momento festivo que o país vive com a realização no próximo dia 23 do pleito eleitoral que decide o futuro do país, com a eleição do novo Presidente, Vice-presidente e os deputados da Assembleia Nacional.

Com o apuramento assegurado, podemos dizer que o objectivo foi cumprido, mas que ainda há muito que fazer. O CHAN é já ao dobrar da esquina, e há que criar agora as condições para que os Palancas Negras possam dispor das melhores condições para a sua preparação, porque longe de irem fazer turismo ao Quénia, a ideia é competir.

Estamos no CHAN, o povo agradece.

Últimas Opinies

  • 17 de Agosto, 2019

    Girabola Zap periclitante

    A festa do futebol está de regresso. Com o retorno do Campeonato Nacional da I Divisão, vulgo Girabola Zap 2019/2020, a alegria do povo volta à ribalta e com ela a euforia, a competitividade.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2019

    De volta a febre pelo futebol!...

    Para a alegria dos seus aficionados, está de regresso a maior festa futebol nacional, o Girabola Zap. Uma prova que inflama paixões e leva alegria para os vários estádios espalhados pelo país.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estamos mais preocupados com a integração dos novos atletas  e perceber qual o momento desportivo e a partir daqui,  entrar numa outra fase de desenvolvimento e novamente.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2019

    Baptismo do Wiliete

    Depois da abertura ontem da 42ª edição do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, vulgo Girabola Zap, com o jogo Clube Desportivo da Huíla (CDH) - FC Bravos do Maquis.

    Ler mais »

  • 15 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Se até agora estivéssemos com as estratégias todas consolidadas, com os atletas em boa forma física e excelente dinâmica, podia também nalguns casos.

    Ler mais »

Ver todas »