Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Objectivo falhado

15 de Julho, 2019
Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição. A Selecção Nacional, às ordens do português Fernando Fallé, tinha como meta o quinta lugar, um feito que havia logrado na edição realizada em Nanjing, China.
O “Cinco Nacional” esteve até muito perto de repetir a proeza de Nanjing, não fosse a apatia evidenciada, sábado último, diante da similar da Itália, no jogo das classificativas do quinto e sexto lugares, a quem esteve a ganhar até ao intervalo por 4-2.
Os angolanos tiveram tudo a sua mercê para gerir a vantagem, mas na segunda parte do desafio realizado no Pavilhão do Centro Desportivo Municipal Isaac Galvez, na cidade espanhola de Vilanova I La Geltrú, permitiram que os italianos revirassem o resultado.
A equipa treinada por Josep Barbera deu, assim, a cambalhota ao resultado, apontando quatro golos contra nenhum do “Cinco Nacional” no segundo período do jogo. Aliás, estava mais do que claro que a Itália não era um adversário qualquer, mas ainda assim com uma atitude mais ousada, Angola podia defender-se melhor e evitar a reviravolta por parte da selecção da Itália, com quem já havia perdido na estreia por 5-4.
Não obstante isso, o sexto lugar acaba por se ajustar aquilo que foi a prestação do combinado angolano, nesta edição do Mundial de Hóquei em Patins de Barcelona, Espanha, que cerrou ontem a cortinas.
A equipa nacional repete, assim, a proeza da edição de 2009, disputada na região de Vigo, igualmente nesse país ibérico. Nunca é demais recordar, que o hóquei em patins foi das primeiras porta-estandarte de Angola no que se refere ao mosaico desportivo, facto que faz com a modalidade mereça todo respeito.
Por isso, hoje Angola revela-se não somente como potência a nível do continente Berço da Humanidade, a África, mas até à esfera mundial. A provar esse facto, estão as presenças regulares do país em Campeonatos do Mundo, desde que se estreou na alta-roda deste desporto em 1982, na edição realizada em Barcelos, Portugal.
De lá para cá, Angola teve uma sequência de participações em Campeonatos do Mundo, saltando à vista, nesse particular, o que organizou dentro da suas fronteiras em 2013, nas cidades de Luanda, capital do país, e Namibe, respectivamente.
Apesar de tudo, é notório o facto de Angola ter um registo de participações honrosas em grandes montras do hóquei em patins mundial, destacando-se nesse particular, como frisamos mais atrás, o quinto lugar alcançado em 2015 em Nanjing, China, e o sexto em 2009 em Vigo, Espanha, e agora nesta edição de Barcelona, que passa para história.

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »