Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Olhos em Bamako

31 de Julho, 2017
A Selecção Nacional sénior feminina de basquetebol inicia hoje em terras brasileiras, concretamente na cidade de São Paulo, o estágio pré-competitivo tendo em atenção o Afrobasket que se disputa na capital maliana, Bamako, de 18 a 27 do próximo mês de Agosto.

As angolanas viajaram convictas em fazer um bom estágio de modo a encararem a competição propriamente dita com o espírito de vitória, já que o objectivo é chegar ao pódio, de preferência com o resgate do título no mesmo palco onde há seis anos (2011) conquistaram o seu primeiro troféu continental.

Com os olhos postos já em Bamako, as pupilas da dupla Jaime Covilhã/Apolinário Paquete, dois categorizados técnicos nacionais, vão entregar-se ao trabalho de corpo e alma tal como aconteceu nas três semanas que estiveram em solo pátrio a esboçar os aspectos técnico e táctico para garantir a melhor estratégia de ataque ao terceiro título na competição.

Os jogos de controlo que vai realizar no Brasil, com a selecção local e algumas equipas, vão permitir à equipa técnica avaliar o estado competitivo do \"cinco\" nacional e tomar as melhores decisões para colocá-lo à altura da grande empreitada que lhe espera em pouco menos de um mês.

Colocar a Selecção Nacional ao mais alto nível é o grande objectivo. Apesar de estar num grupo difícil, Jaime Covilhã e seus adjuntos nem por isso viram cara à luta e mostram grande convicção no alcance do objectivo que norteia o seu grupo de trabalho. Embora reconheça ser difícil, o técnico refere, no entanto, não ser impossível Angola conquistar o seu terceiro título no Afrobasket. As declarações do seleccionador nacional dão a convicção de que o país vai uma vez mais entrar em campo para não deixar os seus créditos em mãos alheias. O facto de a direcção da federação ter feito o esforço para proporcionar um estágio no Brasil, não obstante o momento particularmente difícil que o país atravessa em termos financeiros, por razões sobejamente conhecidas, mostra bem como o país encara este campeonato africano.

Apesar de não ter siso possível levar todo o grupo para o estágio, Jaime Covilhã valoriza o grupo que escolheu e acredita na sua qualidade e potencial das jogadoras seleccionadas, que conta já com a integração da experiente Italle Lucas, a norte-americana naturalizada angolana, que por razões familiares apenas nos últimos dias se juntou ao grupo.

Temos fé de que o grupo de \"eleitas\" dá confiança para chegar ao objectivo. Mas antes de tudo é preciso focar as atenções no trabalho. A partir de hoje, em São Paulo, as atletas e equipa técnica deverão manter a mesma concentração, espírito de abnegação e sacrifício para que no final do estágio a Selecção Nacional esteja mais forte competitivamente.

Depois da conquista dos títulos em 2011, em Bamako, e em 2013, em Maputo, Angola não espera outra coisa se não resgatar o título que não conseguiu revalidar há dois anos em Brazzaville.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »