Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Olhos no clssico

21 de Julho, 2018
Depois da disputa da 21ª edição do Mundial de Futebol, que a Rússia acolheu e cujas atenções dos amantes do desporto-rei no país, obviamente, estiveram direccionadas no período de 14 de Junho até domingo último, agora os olhos destes viram-se para o Girabola-Zap, o Campeonato Nacional da I Divisão. É a febre pelo nosso futebol.
E adivinha-se, para já, uma luta cerrada da competição, que entra, a partir de hoje, na sua fase derradeira: a disputa das últimas cinco jornadas.
Porém, quis o destino que o Petro de Luanda e o 1º de Agosto se cruzassem amanhã, no Estádio 11 de Novembro, no clássico dos clássicos do futebol nacional, numa altura em que os dois conjuntos estão separados, na tabela classificativa do Girabola-Zap, por um escasso ponto. De momento a vantagem pertence aos tricolores, que têm mais um jogo que o seu adversário.
A equipa do \"eixo-viário\" está na liderança com 41 pontos, contra 40 do arqui-rival do \"rio seco\", que viu adiado o jogo da 24ª jornada, face ao seu engajamento nas Afrotaças, em que empatou 0-0 na deslocação a Zâmbia, diante do Zesco United local, para a terceira ronda da fase de grupos da \"Champions League\".
Por falar em empate, o Petro e d\'Agosto têm sido acossados nesse quesito nos últimos jogos, o que faz com que tanto um como outro, não fujam à concorrência para o tão ansiado desejo de cortar a meta em primeiro lugar. Depois desta ronda, faltarão penas 450 minutos para o seu final. E o curioso, no meio disso, é que até o Interclube, que surge na terceira posição da tabela com 39 pontos, também não desarma a senda de empates.
Petrolíferos e militares vão se defrontar pela 76ª vez na mais alta roda do futebol nacional, depois de, na primeira volta, terem ficado pelo empate nulo.
No duelo de amanhã, no Estádio Nacional 11 de Novembro, a nova catedral do nosso futebol, vão estar em jogo 26 títulos, desta que é a maior prova do desporto-rei no país. Os petrolíferos somam 15 títulos, contra 11 do conjunto do \"rio seco\". Apesar de o duelo não ter o condão de definir alguma coisa em relação ao título, ainda assim pode animar o horizonte, para o alcance deste e também balançar o prestígio dos contendores.
E seja qual for desfecho deste dérbi dos dérbis, o que se espera é que, efectivamente, haja golos, pelo facto destes traduzirem as “vitaminas” dos jogos e, acima de tudo, que o mesmo seja disputado no espírito de \"fair-play\" e tenha uma arbitragem imparcial.
Oxalá que no grande dérbi do futebol nacional, não haja espaço para manobras que possam beliscar a imagem do mesmo, como de resto ocorreu na passada quarta-feira em Calulo, no confronto entre o Recreativo do Libolo local e o Petro de Luanda.
O árbitro Rodrigo Aleixo acabou por ser o \"grande protagonista\" do jogo, que terminou empatado (2-2), com todos golos na transformação de grandes penalidades. Para já, na história do nosso Girabola, não há um registo de um jogo com quatro golos e todos eles de grande penalidade.
O juiz da partida acabou por \"manchar\" o espectáculo, pelo facto de, entre os quatro castigos máximos assinalados, apenas um foi digno da cobrança do \"tiro\" dos onze metros.
De resto, além do aliciante Petro - 1º de Agosto, previsto para amanhã, teremos hoje o não menos apetecíveis Sagrada Esperança - Kabuscorp do Palanca.
Amanhã, no prosseguimento da ronda 25, jogam ainda Recreativo da Caála - 1º de Maio, Progresso do Sambizanga - FC Bravos do Maquis, Domant FC - Recreativo do Libolo e Interclube - Sporting de Cabinda. O Desportivo da Huíla vai folgar na jornada, devido à desistência do JGM do Huambo, ainda na primeira volta.

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »