Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Os nossos jogos

26 de Julho, 2014
Aguardados com redobrada expectativa eis aí os IX Jogos Desportivos da CPLP. A cerimónia de abertura decorre hoje, no pavilhão do Kilamba, esperando-se que venha a ser marcada por um ambiente de muita cor e alegria, com muita pompa e circunstância.

Centenas de desportistas, idos de diferentes países que se comunicam em língua portuguesa tomam parte no certame, devendo, durante os dias da competição, trocar experiências, para lá do espírito competitivo que, parecendo o essencial, não é.

Em torneios como este, os concorrentes são muitas vezes obrigados a colocar de parte o espírito competitivo, privilegiando o salutar convívio de irmandade cultural, que secularmente os une. E “Angola-2014” não é diferente.

É evidente que, entre os membros da lusofonia, desportivamente falando, existem aqueles que se destacam em algumas modalidades e que procuram, no quadro do espírito competitivo, vincar a sua classe e chamar a si a hegemonia. Este pode ser o caso do Brasil e Portugal no futebol e de Angola no basquetebol.

Mas o desporto é mesmo isso. Dizem alguns que é uma festa. E nesta disputa, independentemente de quem venha a sair vencedor, no fundo, a vitória tem sempre um cariz colectivo. É de todos aqueles que, pelos quatro cantos do mundo, sejam eles europeus, asiáticos, americanos ou africanos, se expressam na língua de Camões.

Por isso mesmo é que não esperamos dar destaque, individualmente, a este ou àquele país da comunidade. Esperamos, sim, que todos mereçam manchetes, independentemente das bandeiras que venham a hastear e a defender. O que queremos é uma disputa salutar e, acima de tudo, muito fair-play.

Os países da CPLP, com as suas especificidades à parte, têm, do ponto de vista desportivo, muito em comum. Os seus ídolos encantam a todos. Tanto é assim que, em campeonatos do mundo de futebol, quase todos os lusófonos puxam pelo Brasil ou Portugal, que os nomes de Cristiano Ronaldo e Neymar são pronunciados com carinho pelos lusofalantes.

Por aqui se entende, pois, que muitos de nós, angolanos, tenhamos ficado de uma forma ou de outra agastados com o fraco desempenho das selecções portuguesa e brasileira no recém-terminado campeonato do mundo.

Nenhuma das duas selecções tinha símbolos de Angola, mas os angolanos queriam vê-las em grande plano na prova, apenas por uma questão de influência linguística, história e cultural.

Por tudo isso, nos Jogos que hoje começam, a competição não está em causa, sendo de todo legítimo que os consideremos os "jogos da irmandade", pese embora algumas diferenças conceptuais que possam existir entre uns e outros povos.

Últimas Opinies

  • 20 de Julho, 2019

    Acesso ao Qatar

    Apesar da qualificação inédita numa fase final de um Mundial de Futebol, algo que ocorreu curiosamente em 2006, edição organizada pela Alemanha, a Selecção Nacional.

    Ler mais »

  • 20 de Julho, 2019

    O honroso sexto lugar do nosso hquei em patins

    A recente participação de Angola no Campeonato do Mundo de Hóquei em Patins, que decorreu em Barcelona, Espanha, e que o nosso país se classificou em sexto lugar.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso período pré competitivo, nesta segunda quinzena de Julho, já queria ir para uma paragem, onde tivesse campos e equipas para realizarmos jogos.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    Final interessante

    Um mês depois de fortes emoções vividas nos estádios e em outros espaços fora e longe dos centros de disputa,  vamos ter,  finalmente,  amanhã dia 19, o cair do pano da XXXII edição do Campeonato Africano das Nações de futebol, organizado pelo Egipto.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    A dvida de Akw

    O dia 8 de Outubro de 2005, ficará para sempre gravado na história do desporto angolano e do futebol em particular.

    Ler mais »

Ver todas »