Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Palancas convocados

09 de Outubro, 2015
A Selecção Nacional começa na próxima segunda-feira a preparar os dois últimos jogos referentes à última eliminatória de acesso à fase final do CHAN, que se disputa no próximo ano no Ruanda. O adversário é a África do Sul e as partidas estão agendadas para o dia 17, primeira mão, em Luanda, e 24, segunda mão, em Pretória.

O seleccionador nacional convocou na quarta-feira o grupo de trabalho, no qual o destaque recai para o regresso do avançado Mateus Galiano do 1º de Agosto, além das chamadas de Gância, guarda-redes do Desportivo da Huíla, os defesas Isaac (1º de Agosto), Gomito (Benfica de Luanda) e Eddie (Libolo) e o central Silva (Kabuscorp do Palanca). Depois da estreia auspiciosa frente à Suazilândia, com empate a zero, na primeira mão, e vitória de 2-0, na segunda, os Palancas Negras têm agora pela frente uma empreitada um pouco mais difícil, atendendo ao nível do adversário que vão enfrentar. Os Bafana Bafana são um conjunto mais apto do ponto de vista competitivo e almejam o mesmo objectivo, ou seja, estarem na prova africana reservada aos jogadores que actuam no continente.

A programação para preparar o jogo do dia 17 já está gizada e começa com a concentração da Selecção Nacional no próximo domingo num dos hotéis da capital. Na segunda-feira de manhã começa o trabalho de campo que vai prosseguir no dia seguinte já em terras sul-africanas, onde se vai cumprir um curto estágio antes da partida de sábado , às 16 horas, no estádio Lucas Moripe, em Pretória.

Do grupo de convocados, consta boa parte dos jogadores que garantiram o apuramento para esta última eliminatória, pelo que se trata de um grupo familiar que terá apenas de aprimorar alguns aspectos técnicos e tácticos para concretizar o objectivo que persegue. Os primeiros 90 minutos podem ser decisivos, pelo que todas as cautelas são necessárias. No "laboratório" a partir de segunda-feira, a Selecção Nacional vai procurar o entrosamento dos seus integrantes, forma desportiva e a melhor estratégia para o melhor resultado possível frente aos Bafana Bafana, em sua casa.
Estes vão certamente tentar tirar partido do facto de jogarem nos seus domínios e contarem com o apoio do seu público. Mas isso não pode ser motivo para intimidar os angolanos. Aliás, como disse o seleccionador nacional na conferência de imprensa, a África do Sul tem pontos fortes e fracos e Angola já os conhece. Assim, bastará que se faça um trabalho minucioso para saber explorar estes detalhes.

Conseguindo um bom resultado na primeira mão, isso pode ser uma vantagem acrescentada para o jogo decisivo da segunda mão já em Luanda, onde também haverá que tirar vantagem do conhecimento do terreno do jogo e do apoio incondicional que o 12º jogador sempre dispensa à Selecção Nacional. De resto, estamos convictos de que estamos no bom caminho para o regresso ao CHAN.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »