Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Palancas em baixo

24 de Dezembro, 2016
A classificação dos Palancas Negras é pouco abonatória para a Selecção Nacional, mas acaba por espelhar o actual momento do futebol nacional, e a campanha do conjunto nacional nas várias frentes em que esteve engajada.

Verdade seja dita, Angola pouco ou nada fez ao longo deste ano, para inverter o quadro classificativo. A participação na corrida para a fase final do CAN do Gabão que está prestes a começar, foi um desastre, após um arranque prometedor, com uma goleada no Lubango sobre a República Centro Africana.

A goleada, que os Palancas Negras impingiram aos centro -africanos na estreia, acabou por esconder os males reais da selecção, porque o que se viu depois foi a travessia no deserto.

O afastamento da corrida ao Mundial da Rússia foi a consequência lógica do mau momento que o conjunto nacional atravessou, sempre debaixo de forte contestação dos adeptos, que demonstraram um divórcio com a selecção de todos nós.

Aquela fase foi das piores da história da Selecção Nacional, que mais parecia um saco de pancadas, no qual as outras selecções despejavam as frustrações e saciavam os seus apetites.

Ao terminar o ano na posição em que está, a nível do continente, Angola só suplanta selecções como São Tomé e Sudão do Sul, Djibuti e Eritreia, por exemplo, formações sem expressão futebolística, e que por isso mesmo, estão sempre na cauda do ranking continental.

Se nesta altura o momento é de desconforto face a actual classificação, é preciso acreditar que o quadro pode ser revertido com novas políticas, e nova filosofia para o futebol nacional.

O novo presidente da Federação Angolana de Futebol, Artur Almeida e Silva, já fez questão de sublinhar que é preciso devolver a dignidade ao futebol angolano, guindá-lo ao lugar que realmente merece.

Em tempo de mudanças no órgão federativo, é tempo, também, dos Palancas Negras darem um outro sentido à vida, com a melhoria da prestação nas competições em que estiverem engajados, porque só assim deixa os lugares de baixo do ranking mundial.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »