Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Palanquinhas em aco

21 de Maio, 2016
Os angolanos estão desde hoje engajados em mais uma cartada internacional, no que diz respeito ao futebol, quando os Palanquinhas, designação da selecção de sub-20 de futebol, desenharem o apuramento para a fase final do CAN da categoria, cuja sede é na Zâmbia, no próximo ano, defrontarem o Gabão no Estádio dos Coqueiros.

E é num cenário algo ténue que o futebol nacional enfrenta em mais uma empreitada internacional, embora num escalão inferior, com o prestígio fortemente abalado por resultados menos conseguidos, quer ao nível de selecções como de clubes.

A última esperança para o seu relançamento desvaneceu-se com o afastamento do Sagrada Esperança da fase de grupos da competição em que estava engajado, na Taça da Confederação, dado que um eventual apuramento levaria ao aumento automático do número de equipas angolanas nas competições da CAF, nos próximos tempos.

A nível do escalão maior, há uma forte descrença de um provável apuramento dos Palancas Negras para o próximo CAN que o Gabão alberga em 2017, uma vez que a situação no grupo em que estão inseridos deixa muito a desejar, depende de terceiros para marcar presença naquela cimeira africana de futebol.

Os Palanquinhas têm centradas, desse modo, as atenções dos amantes do futebol que esperam do conjunto um melhor desempenho, comparativamente aos mais velhos.

Integrado por jovens que aspiram a lugares na selecção principal, e que levam uma relativa rodagem competitiva por serem titulares nas equipas em que actuam no Girabola, a selecção de sub-20 que hoje começa a definir o seu futuro pode sonhar alto no jogo com o gaboneses, mesmo com alguns constrangimentos vividos, como a impossibilidade do técnico contar com o médio Nuno, afastado por problemas administrativos.

Sabe-se que a eliminatória comporta dois jogos, é imperioso tirar partido do factor casa para nos Coqueiros realizar o melhor resultado possível, para que no reduto do adversário, o conjunto tenha a serenidade necessária para enfrentar as adversidades que podem surgir pelo caminho.

De resto, o optimismo num bom resultado está bem patente nas palavras do treinador Samy Matias quando dizia que ""em princípio a moral dos miúdos está muito alta. Como toda a gente sabe, nós não fizemos os jogos da primeira eliminatória, devido à desistência do adversário. Os rapazes estão motivados em fazer o primeiro jogo neste tipo de competição. Trabalhámos bem ao longo da preparação e estamos optimistas em fazer um bom resultado neste jogo".

Um optimismo que certamente vai contagiar o público que acorrer aos Coqueiros para o apoio que os Palanquinhas merecem.

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »