Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinião

Paragem necessária

18 de Março, 2017
O Girabola Zap vai parar para dar lugar à Selecção Nacional que prepara o jogo amistoso com a África do Sul no cumprimento da primeira Data-Fifa do ano, numa altura em que a maioria dos campeonatos nacionais nos diversos pontos do mundo também registam pausas, para o cumprimento do calendário mundial do organismo que rege o futebol mundial.

Uma pausa, pois, necessária, e que não deve merecer a contestação de ninguém, porque é preciso salvaguardar os compromissos da Selecção Nacional, num momento em que vai à procura da sua auto-estima.

Ainda assim, foi interessante ver o exercício feito pela FAF, no sentido de mesmo com o campeonato parado, salvaguardar os interesses dos clubes, com a programação de jogos do Girabola Zap à meio da semana.

Treinadores de formações do primeiro escalão manifestaram-se favoráveis a essa programação. São eles que treinam as suas equipas, e são eles que sabem até que ponto é que paragens prolongadas, sem os seus jogadores competirem, são prejudiciais para os seus atletas, já que esses encontram nos jogos a melhor forma de treinar.

O Girabola Zap está a caminhar para uma fase interessante, em que o despique em diversos jogos dá à competição uma pontinha de imprevisibilidade a cada jornada que passa.

Nesta altura, nenhuma equipa pode esfregar as mãos por atingir o pleno de vitórias em seis jornadas, porquanto todas já cederam pontos, com empates ou derrotas, pelo que ninguém pode sorrir por chegar aos seis triunfos consecutivos.

Até mesmo a equipa de Calulo, que joga hoje uma cartada decisiva para a sua continuidade nas Afrotaças ao defrontar o Platinium Stars do Zimbababwe, após vitória em casa por 2-1, e por força dessa sua participação na Taça da Confederação, ficar com dois jogos em atraso em relação aos restantes candidatos, 1º de Agosto que lidera a competição, Petro de Luanda e Kabuscorp do Palanca, por sinal, duas formações que se defrontaram ontem no Estádio 11 de Novembro, no fecho da ronda seis da prova, pode ter esse privilégio.

Os ares da Caála voltaram a fazer mal ao campeão 1º de Agosto que, com o empate cedido naquelas paragens, ficou impedido de somar seis triunfos consecutivos, o que nem por isso retirou ao conjunto uma passada regular.

Os Palancas Negras estão na ordem do dia, após a divulgação da primeira convocatória do novo seleccionador nacional Beto Bianchi . Há garantias de condições para a preparação em tempo de mudanças de procedimentos e mentalidades pelo que vamos acreditar que novos ventos sopram para os Palancas Negras.

Últimas Opiniões

  • 18 de Agosto, 2017

    Melhorias à vista

    Clubes como 1º de Agosto e Petro de Luanda, que já produziram grandes talentos, são grandes exemplos a seguir no que se refira às
    políticas de formação.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2017

    Palancas Negras dependem de si mesmos

    Os Palancas Negras preferiram empatar o jogo da primeira mão para resolver a eliminatória em
    casa.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2017

    Noventa minutos de alto risco

    O Madagáscar é daquelas equipas que não se explicam totalmente pela táctica nem pela técnica.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2017

    Citações

    Falámos pouco dele durante a semana passada, mas foi um jogador muito importante.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2017

    Limar as arestas

    As angolanas efectuaram um estágio précompetitivo no Brasil durante cerca de duas semanas, disputaram um total de seis
    jogos de controlo, com realce para dois que realizaram com a selecção principal local, que permitiram ao seleccionador nacional tirar as
    devidas ilações de como está o grupo para grande empreitada.

    Ler mais »

Ver todas »