Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Paragens do Girabola

22 de Junho, 2016
Muita água há de correr ainda debaixo da ponte, em relação à prolongada paragem a que o Girabola Zap está sujeito, por esta altura, com o argumento da primazia aos compromissos dos Palancas Negras.Acreditamos que parar o campeonato por 21 dias, não seja uma decisão unilateral da Federação Angolana de Futebol, e por isso, não deve aparecer como a má da fita. O órgão reitor do futebol nacional tem privilegiado o diálogo com os clubes do Girabola, para em conjunto traçar o caminho para as competições nacionais mais importantes, campeonato nacional e Taça de Angola, uma atitude enaltecida por alguns dirigente em diversas ocasiões.

Por isso, julgamos ter havido um acordo para a pausa que se verifica, convenhamos que acaba por penalizar os clubes. Porém, e com o surgimento agora, de algumas vozes discordantes a manifestarem-se contra a prolongada paragem, concretamente de treinadores, parece que não houve sintonia entre dirigentes e técnicos.

Os grandes campeonatos não têm paragens como o nosso, daí, a competitividade que têm, porque os jogadores têm sempre o mesmo ritmo e os treinadores sabem como dar forma e competitividade às suas equipas.É certo que a preparação dos Palancas Negras, como equipa de todos nós, merece toda a primazia. Contudo, temos de ter em linha de conta, que a Selecção Nacional em termos internacionais só tem de cumprir calendário na corrida para a fase final do Gabão, pelo que se devia arranjar um meio termo, para que mesmo sem prejuízo da selecção, a paragem do campeonato fosse mínima. Com esse defeso, os clubes que vinham de um embalo da primeira volta, estão sujeitos a reprogramar tudo para que os jogadores estejam em pleno, no recomeço da competição.

Os técnicos Jorge Humberto Chaves, quadro do 1º de Agosto, e João Machado, treinador do 4 de Abril do Cuando Cubango, são vozes que merecem ser ouvidas e manifestaram-se contra esse longo período de pausa, com o segundo a falar, inclusive, de interesses económicos a estarem na base desse "defeso".De resto, com o Girabola Zap parado, e com o mercado a ficar agitado devido a janela de transferências, em que os clubes fazem contas e olham para os cofres para melhor comprar sem gastar muito, o campeonato ainda que parado, vai continuar a "jogar", sempre com polémicas à mistura.

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »