Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Pausa e acertos

02 de Maio, 2019
A Federação Angolana de Futebol marcou para os dias 11 e 12 do presente mês, a disputa da penúltima jornada do campeonato nacional de futebol da primeira divisão. A breve pausa decretada visa dar lugar à disputa dos jogos em atraso, para ajuste de calendário, o que vai permitir que as equipas partam para as duas últimas jornadas em igualdade de circunstâncias, como está regulamentado.
Ontem foram disputados os jogos Bravos de Maquis-Desportivo da Huila e Saurimo FC-Petro de Luanda, realizando-se no próximo domingo os outros dois desafios, nomeadamente Recreativo da Caala-Bravos do Maquis e Interclube- Saurimo FC. Trata-se de uma pausa, que vai permitir àquelas equipas sem jogos, retemperar as energias para o sprint final.
Na verdade, o momento é de enorme expectativa, em face das matemáticas que se fazem, no quadro das probabilidades de alcance das metas inicialmente traçadas, sobretudo por parte de equipas, que ainda continuam a vincar a crença. Aquelas que lutam pelo título, aquelas que o fazem pela melhoria de classificações anteriores e outras ainda que tentam escapar do espectro da despromoção.
Esta última batalha envolve mais equipas. Pois, um olhar, ainda que de soslaio, ao gráfico classificativo, ajuda a perceber que, com o nó apertado ao pescoço, estão todas que estão escalonadas da 11ª posição à última. Pois, da mesma forma que nem Académica do Lobito se sente tranquilo, também nem o Saurimo FC deve entrar já em colapso.
Portanto, tem o campeonato ainda muita atracção a nos proporcionar na sua fase derradeira. A disputa ganha maior intensidade, perante a aflição de quem se acha entre a glória e o fracasso, sendo um cenário que, ironicamente, empresta maior suspense ao torneio. Pois, se as coisas estivessem já definidas, teríamos uma ponta final insípida e insossa.
Quando, no próximo dia 11, a competição voltar às quadras, será para ver quem é quem. Pois, no futebol, as coisas não diferem das grandes provas de fundo (atletismo). É na derradeira etapa que se vêem os grandes velocistas. É aí onde uns exibem o vigor, o talento, e outros denunciam a fraqueza, acabando rendidos ao domínio dos mais audazes.
Oxalá, tudo venha a correr de feição, para aqueles que sempre tiveram um desempenho convincente. Mas as surpresas não devem ser descuradas. Tudo ainda pode acontecer, para o mal ou para o bem dos concorrentes. Assim, é a natureza do desporto, onde todos partem em regime de igualdade e terminam, em regra, divididos.

Últimas Opinies

  • 21 de Setembro, 2019

    Craques que buscam afirmao alm-fronteiras

    É por demais sabido, que a história do futebol angolano regista o nome de ex-jogadores, que ajudaram a elevar o nome do país além-fronteiras.

    Ler mais »

  • 21 de Setembro, 2019

    Talentos angolanos ofuscados na dispora (?)

    Hoje, neste espaço assinado “A duas mãos”, concordamos escrever sobre um assunto de suma importância e que merece a nossa atenção, até porque, sem desprimor para outros, as questões sobre os futebolistas angolanos que actuam na diáspora, com particular destaque para os novos talentos que têm, nos últimos tempos, preenchido largos espaços na média desportiva e não só.

    Ler mais »

  • 21 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Os adversários são bons, os grupos são fortes e têm boas selecções.

    Ler mais »

  • 21 de Setembro, 2019

    Crise petrolfera

    Há maus ventos no Petro Atlético de Luanda

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Futebol nacional deve ser revolucionado? (II)

    A semana precedente fechei o texto com o seguinte argumento: “A meu ver, já não se pode gastar dinheiro em vão com o futebol.

    Ler mais »

Ver todas »