Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Pensamento de Drogba

19 de Setembro, 2019
Considerando que a vida é feita de sonhos e ambições, é de todo legítimo o pensamento do antigo internacional costa-marfinense Didier Drogba, em traçar como meta das suas ambições, enquanto homem do futebol, a presidência da Federação Costa-marfinense de Futebol. Pode ser mal-entendido em alguns círculos, no seu país, mas quanto a nós não há nenhuma anormalidade, na sua afirmação e intenção.
De resto, é comum que em fim de carreira, como atleta, aqueles que queiram permanecer no mundo das emoções desportivas, procurem um caminho a seguir. A opção é apenas para dois. Ser treinador ou ser dirigente desportivo. No caso do antigo craque do Chelsea, ser treinador pouco lhe interessa, porque não tem o impacto que lhe convém, como é o caso de ser presidente da federação.
Assim, o homem que não definiu o timing para dar este salto, vai, certamente, se preparar, arregimentar apoios para a médio ou curto prazo consumar o seu objectivo. Entretanto, é sabido que toda carreira requer alguma preparação. Daí que pensamos que ao dizer o que diz, não o faz na perspectiva do imediatismo, mas de ir se preparando para esta empreitada.
Aliás, Drogba é hoje membro da equipa de trabalho do presidente da Confederação Africana de Futebol, e o contacto permanente com grandes dossiers administrativos, ligados aos meandros do futebol continental, vai, a seu tempo, lhe conferir maturidade administrativa que poderá ser, para si, de grande serventia, quando achar que chegou a hora de avançar para o desafio a que se propõe.
Quando diz que quer repensar o futebol no seu país e poder desenvolve-lo, saberá, certamente, o que diz e por onde começar. Não será, por isso, sem razão que avança que no seu país tem meios e potencial futebolístico, que tem sido muito mal explorado. Vai mais longe quando acrescenta que, \"na Costa do Marfim tem muitas pessoas competentes que me podem ajudar\".
Realmente, o futebol, em muitos países africanos, carece de mentes pensantes. Pois, a forma como, às vezes, é dirigido, deixa escapar a sensação de estar sequestrado, por gente pouco entendida. Portanto, é salutar quando pessoas que fizeram nome no desporto se predispõem a trabalhar, para este fenómeno social. É bem crível que, quando Drogba entender avançar, não lhe faltará o devido apoio.
Por ora, precisa apenas de amadurecer o seu projecto, que passa necessariamente pela auscultação daqueles, que julgue úteis para o enriquecimento do mesmo. Deve evitar, igualmente, um avanço precipitado e imediato, sendo que a pressa nem sempre leva ao sucesso, estando mais próxima do fracasso. Mas a iniciativa é de aplaudir.

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »