Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Pr-Olmpico borla

08 de Março, 2015
O anúncio de que o Torneio Pré-Olímpico, de capital importância para o combinado nacional de andebol feminino, pode ter entradas grátis, foi bem acolhido pelos amantes da modalidade e não só. É o prenúncio de que vamos ter o Pavilhão da Cidadela lotado para o apoio uníssono às nossas pérolas.

Depois do que aconteceu no Torneio “Angola 40 anos” inserido nos festejos de mais um aniversário da Independência Nacional, em que os amantes do andebol não pagaram um tostão para ver a Selecção Nacional ultrapassar as suas adversárias, a FAAND prepara mais um presente para aqueles que pretendem acompanhar na Cidadela, conforme admitiu Ilídio Cândido, vice-presidente da Federação Angolana de Andebol.

“Em princípio, creio que não vai haver cobrança de ingressos. Na última reunião que tivemos não abordamos esta questão, por outro lado, nós sabemos que o andebol tem o seu público, mas não é regra cobrarmos ingressos nas nossas actividades. Tudo indica que não vai haver cobranças”, disse.

Uma atitude sensata que tem de ser correspondida pela Selecção Nacional, que tem de fazer a sua parte. E bem, diga-se. Não vai ser por falta de apoio que as nossas pérolas não vão ter a possibilidade de estarem presentes nos JO do Rio de Janeiro, em 2016.

A saber-se da importância que o factor casa tem em provas similares, é um dado adquirido que este incentivo e apoio venham a funcionar como uma mola impulsionadora que catapulte o “Sete” Nacional a mais um feito histórico.

O objectivo principal do grupo angolano é conquistar o Torneio Pré Olímpico, porque só assim pode participar nos próximos Jogos Olímpicos. Mas a tarefa não se avizinha fácil, em função dos habilidosos opositores, também eles interessados em estar no Rio de Janeiro.

Senegal, RD do Congo e Tunísia têm potencial para fazer frente ao combinado nacional. Possuem um historial no andebol continental e mesmo a jogar no reduto de uma das selecções mais fortes do Continente, podem estragar a festa às nossas pérolas.

Mesmo a jogar em casa, o combinado nacional tem de estar preparado psicologicamente, porque a carga emocional vai ser forte. A pressão de jogar em casa por vezes traz dissabores. Nem sempre o factor casa surge como uma benesse. E Angola deve estar preparada para isso.

O estágio que a equipa nacional está a realizar em Portugal e Holanda vai servir para aquilatar ainda mais os níveis de confiança, depois do produzido no Torneio “Angola 40 anos”.

Estamos a pouco menos de dez dias do início do Pré- Olímpico. Nestes dias que antecedem o início da competição devemos estar preparados, motivados e sensibilizados para o apoio que devemos transmitir às nossas Pérolas para atingirem os objectivos preconizados.

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »