Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Primeiros Desafios

01 de Janeiro, 2015
Novo Ano, renovam-se as expectativas de resultados melhores em todas as frentes da vida. Já sabemos que no capítulo económico, 2015 não nos pode oferecer razões para festejos. Contudo, podemos celebrar noutras, como no desporto.

O ano começa com o torneio pré-olímpico, em que as nossas meninas vão disputar o passe para Rio de Janeiro 2016. Em masculino, pode ser mais complicado, pois estamos conscientes que não somos a primeira nem a segunda força no continente.

Temos lutados para nos intrometer na luta quase exclusiva do Magreb. Sem grande sucesso, por enquanto. Para sermos mais exactos, somos a quarta força (foi a classificação do último africano). E por conta disso, as possibilidades de conquistar o passe de acesso para os Jogos Olímpicos são remotas. Porém, o desporto não admite o “Nunca”.

Tudo pode acontecer. Logo, enquanto houver possibilidades (por remotas que sejam), temos o direito de acreditar. Era ouro sobre o azul, conseguirmos o passe nas duas categorias.

O Ano 2015 reserva-nos ainda o Campeonato do Mundo de Pesca Desportiva, em Benguela. E é altura de preparar as condições para os Jogos da SADC (Comunidade de Económica de Desenvolvimento da África Austral). Os Jogos Olímpicos da região, se quisermos que o País acolha em 2016.
Quanto ao futebol, depois do fracasso das diversas selecções, é altura de reflectir.

O Ministério da Juventude e Desportos propõe um debate, em torno do qual se esperam soluções para reorientar não apenas a Federação Angolana de Futebol, mas também as Associações e os clubes. O futebol impõe hoje uma ruptura com o actual estado, em particular a sua gestão. Aliás, a coerência diz-nos que esse conceito ainda não chegou ao nosso futebol, salvo algumas raras excepções.

De amador o nosso futebol tem hoje e só algumas práticas, de resto é profissional. Razão pela quase se exige igualmente que se troque o conceito dirigir por gerir. Não se trata de simples jogo de palavras. Gerir implica pensar nas despesas e receitas, significa utilizar práticas e estratégias com vista a alcançar os objectivos a que nos propomos, no capítulo desportivo ou competitivo, assim como financeiro ou económico.

Capitalizar o produto (no caso o futebol) é o primeiro passo. Por detrás da valorização do futebol, seguem-se os ganhos económicos e financeiros. É assim em tudo, por cá não pode ser diferente.
FELIZ ANO NOVO!

Últimas Opinies

  • 17 de Agosto, 2019

    Girabola Zap periclitante

    A festa do futebol está de regresso. Com o retorno do Campeonato Nacional da I Divisão, vulgo Girabola Zap 2019/2020, a alegria do povo volta à ribalta e com ela a euforia, a competitividade.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2019

    De volta a febre pelo futebol!...

    Para a alegria dos seus aficionados, está de regresso a maior festa futebol nacional, o Girabola Zap. Uma prova que inflama paixões e leva alegria para os vários estádios espalhados pelo país.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estamos mais preocupados com a integração dos novos atletas  e perceber qual o momento desportivo e a partir daqui,  entrar numa outra fase de desenvolvimento e novamente.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2019

    Baptismo do Wiliete

    Depois da abertura ontem da 42ª edição do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, vulgo Girabola Zap, com o jogo Clube Desportivo da Huíla (CDH) - FC Bravos do Maquis.

    Ler mais »

  • 15 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Se até agora estivéssemos com as estratégias todas consolidadas, com os atletas em boa forma física e excelente dinâmica, podia também nalguns casos.

    Ler mais »

Ver todas »