Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinião

Quadro de honra

20 de Abril, 2017
As emoções estão ao rubro no campeonato nacional de futebol da primeira divisão. As atenções estão focadas, na condição indefinida das coisas, no topo da tabela classificativa onde o 1º de Agosto reassumiu a liderança, à saída da 10ª ronda, contudo, no encalço estão as formações do Petro de Luanda, Kabuscorp e Sagrada Esperança.

Tudo indica, pelo andar das coisas, que as equipas da linha da frente só dependem de si mesmas para se sagrarem campeãs da primeira volta, a cinco jornadas, basta para o efeito evitar os deslizes que em competição ocorrem quando menos esperamos. A luta advinha-se renhida até à 15 ª ronda.
Nas últimas edições do Girabola , as direcções do 1º de Agosto, do Kabuscorp, do Petro e do Recreativo do Libolo, , não se pouparam a esforços para a criação de condições para as equipas conquistarem posições honrosas na classificação.

Aliás, este leque de equipas têm dominado os últimos campeonatos. Mesmo o 1º de Agosto, submetido a um jejum de dez edições, esteve perto de sacudir a crise em 2015 quando terminou a prova com a mesma pontuação em relação ao então campeão, Recreativo do Libolo, a decisão resultou da diferença no \"goal - average\". Entretanto, a edição passada foi decisiva. A equipa investiu todo o seu capital, e com um plantel de luxo, em que pontificavam Gelson e Ary Papel sobrepôs-se a todos os concorrentes, chamou a si a conquista do título, numa espécie de devolução da mística aos rubro -negros.

A turma do \"Eixo-Viário\", que na época passada mostrou toda a garra, é outro adversário a ter conta. Para a presente edição, entrou com a mesma determinação, tal como espelha a posição classificativa. Na verdade, está a fazer um campeonato discreto, calmo, tranquilo, e neste ritmo vai pavimentando a estrada que pode levá-la ao sucesso.

O Kabuscorp foi até aqui, a grande animação da prova, por razões que nos ultrapassam, está a ceder terreno, jornada após jornada. É claro que não é motivo bastante para riscá-lo da lista de candidatos. Mas precisa de acertar o seu jogo, sob pena de na segunda volta ser afastado do selecto grupo dos potenciais candidatos. Não vamos falar do Recreativo do Libolo, que precisa de acertar o seu calendário, para termos uma visão mais exacta da sua ambição. Mas não deixa por isso, de ser um potencial candidato. Ainda não perdeu esse estatuto.

Últimas Opiniões

  • 11 de Dezembro, 2017

    Citações

    Foram muitas as razões que nos levaram a definir essa escolha, tal como o profissionalismo, a orientação técnica, conhecimento e experiência do futebol, compromisso com a formação, vontade de vencer, ser estudioso permanente do futebol e passar os seus conhecimentos aos treinadores nacionais.

    Ler mais »

  • 11 de Dezembro, 2017

    Crença e acalmia

    A família do futebol nacional deve por esta altura estar mais calma, depois da divulgação do novo seleccionador nacional pela Federação Angolana da modalidade, volvidos que foram os dias de incerteza, agora, com a missão de dirigir os Palancas Negras no seu primeiro compromisso do ano, o da fase final do CHAN que o Reino de Marrocos acolhe.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2017

    São Silvestre é marca

    “Infelizmente, nos últimos tempos, mergulhados numa crise financeira sem precedentes, o desporto angolano vem pagando uma factura bastante pesada e, obviamente o atletismo não fica de parte.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2017

    Cartas dos Leitores

    O futuro a Deus pertence, e se calhar vou terminar a minha carreira aqui no Maquis, e ser campeão nesta equipa.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2017

    Vamos trabalhar

    O técnico deixou a entender que apesar de os objectivos para CHAN serem claros porém a sua ambição como técnico não se esgota nesta competição

    Ler mais »

Ver todas »