Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Qualificao vista

20 de Abril, 2019
A Selecção Nacional de futebol, de Sub-17, que participa no Campeonato Africano das Nações, que decorre na Tanzânia, tem hoje a missão espinhosa diante da selecção anfitriã, de jogar para a terceira e última jornada da fase de grupos. O desfecho, pode determinar a passagem às meias-finais, ou o afastamento irremediável.
Na verdade, depois de um início fulgurante com uma vitória convincente sobre a similar ugandesa, os Palanquinhas acabaram por claudicar na segunda jornada diante da Nigéria, comprometeram as aspirações ou adiaram a qualificação para a fase seguinte do torneio. Ainda assim, nada está perdido em definitivo. No ar, paira alguma esperança.
Para tanto, a equipa, às ordens de Pedro Gonçalves, está obrigada a vencer o jogo de hoje, é esta a condição única de passar às meias finais.Trata-se de uma empreitada difícil, mas não impossível, desde que da parte da equipa haja atitude, determinação, e mais do que isso, espírito de missão. As portas, para a outra fase, ainda não se fecharam.
É lógico, que o adversário a jogar em casa, tem os seus argumentos e objectivos. Pois, em caso de sair vitorioso, com uma boa margem de golos e se verificar uma vitória da Nigéria sobre o Uganda no outro jogo do grupo, pode ter a felicidade de estar nas meias-finais do torneio. É uma hipóteses remota, que não pode ser posta de fora das equações matemáticas.
Vai daí, que os angolanos não devem menosprezar o adversário. Mesmo a saber-se, que em função do que nos foi dado ver, nas primeiras duas jornadas, Angola tenha mais futebol em relação ao adversário, há que ter sempre presente a máxima, segundo a qual, no futebol não há vencedores antecipados, tão pouco derrotados à partida.
Seja como for, em termos de motivação entre as duas equipas, Angola está, naturalmente, com os níveis mais elevados. Depender de si, não é o mesmo que depender de terceiros. É esta particularidade, que divide as duas equipas, capaz de ter influência no desempenho destas e no resultado final. Angola precisa de acreditar e mostrar a mesma postura que mostrou nos jogos anteriores.
No último jogo com a Nigéria, pese embora averbar uma derrota, não esteve mal em campo. Jogou a um nível aceitável, resistiu à fúria adversária até ao fim, só não chegou à igualdade, por manifesta falta de sorte. Se evidenciar a mesma postura, logo mais, não terá dificuldades para atingir o seu desiderato.


Últimas Opinies

  • 19 de Setembro, 2019

    Capitalizar os Capitas

    Está na baila o que adjectivo por “Caso Capita”, que até onde sei envolve a direcção do Clube Desportivo 1º de Agosto, o agente do jogador, a Federação Angolana de Futebol e a família de sangue do referido atleta, que até prova em contrário, ainda está vinculado ao clube militar, que o inscreveu para a presente época futebolística.

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Sinto-me bem na província da Lunda-Norte. As pessoas têm sido fantásticas comigo, em todos os aspectos. Têm-me apoiado bastante e, naturalmente, os jogadores, direcção e todos os membros do clube.

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Pensamento de Drogba

    Considerando que a vida é feita de sonhos e ambições, é de todo legítimo o pensamento do antigo internacional costa-marfinense Didier Drogba, em traçar como meta das suas ambições, enquanto homem do futebol, a presidência da Federação Costa-marfinense de Futebol.

    Ler mais »

  • 16 de Setembro, 2019

    O lado difcil do marketing desportivo

    "Do jeito que vocês estão a trabalhar, o marketing desportivo em Angola, muito abaixo da linha da cintura, creio que este é o pior momento possível para se apostar no sector”, desabafou um especialista brasileiro, numa conversa mantida recentemente em ambiente reservado, com um pequeno grupo de jovens empreendedores, que "sonham" fazer grandes negócios através do marketing desportivo.

    Ler mais »

  • 16 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    O Sagrada é um clube com carisma, mística e sente-se isso na província, quer no dia-a-dia com os adeptos, quer no contacto com as pessoas.

    Ler mais »

Ver todas »