Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

"Quartos" de luxo

22 de Julho, 2014
Ao contrário do que se previa, os oitavos-de-final da Taça de Angola, que no passado fim-de-semana deliciou alguns estádios do país, não protagonizou qualquer surpresa. Venceram os mais poderosos, embora num ou outro jogo o factor casa tenha tido um papel preponderante.Como não houve surpresas, não temos dúvidas em dizer que vamos ter uns "quartos" de luxo, em função do poderio das equipas presentes nesta fase decisiva da prova. 1º de Agosto, Recreativo do Libolo, Petro de Luanda e Kabuscorp formam um quarteto de luxo, ao qual juntamos o Progresso, Desportivo da Huíla e Sporting de Cabinda. A oitava equipa vai ser encontrada amanhã, quando jogarem no Luena o Bravos do Maquis e o Benfica de Luanda.

O Desportivo da Huíla, finalista vencido da edição passada (0-1 diante do Petro de Luanda) aproveitou o momento menos bom do Interclube para voltar a sonhar com a final. Um Interclube que vai de mal a pior.Venceu por 2-1 e, embora os seus dirigentes digam que o principal objectivo é assegurar o quanto antes a permanência no Girabola, a verdade é que a perspectiva de estar pela segunda vez consecutiva na final não está posta de lado.Quem também aproveitou o factor casa para se manter em prova foi o Sporting de Cabinda que, à tangente (1-0), pôs o ASA fora da prova. Tanto uma como outra equipa não têm objectivos na Taça. Permanecer na fina flor do futebol nacional é o objectivo que norteia a direcção das duas equipas.Melhor sorte teve o Progresso, que regressou do Uíge com o passaporte para os quartos-de-final. Não foi nada fácil para os sambilas, já que tiveram de recorrer às grandes penalidades para se manterem na prova, um dos objectivos traçados pela direcção do clube.

O Recreativo da Caála, que antes da partida prometeu ajustar contas com o campeão em título, o Kabuscorp, não passou das intenções. Acabou derrotado (0-1) e disse adeus a um dos objectivos do presidente Mosquito: a conquista da Taça. Com o naipe de equipas apuradas para os quartos de final, é grande a expectativa em torno do sorteio. Estamos convictos que ele vai pôr frente a frente dois adversários de peso. Seria bom para o suspense que tem caracterizado a prova.Não acreditamos que 1º de Agosto, Recreativo do Libolo, Petro de Luanda e Kabuscorp não joguem entre si já na próxima eliminatória. Aliás, é esse o motivo que anima os amantes do futebol. Que haja um grande jogo nos "quartos".A Taça de Angola é, para algumas das oito equipas apuradas, a salvação da temporada. Ao não conseguirem o mais desejado, vencer o Girabola, a vitória na Taça surge como o desejo imediato, a segunda opção. Também porque garante um lugar na próxima edição da Taça CAF.

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »