Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Que venha o Chade...

01 de Dezembro, 2018
Depois da vitória ontem sobre a similar dos Camarões por 77-73, a Selecção Nacional de basquetebol sénior masculina pode confirmar hoje, no Pavilhão Multiusos Arena do Kilamba, a sua qualificação a Copa do Mundo da modalidade, a ter lugar no próximo ano na China.
Para a materialização desse desiderato, o cinco nacional da «bola ao cesto» precisa repetir a proeza hoje, frente ao Chade, para desse modo lograr a sua oitava presença numa montra mundial.
Com a vitória ontem sobre a selecção camaronesa, os hendecampeões africanos passaram a somar 17 pontos, ao cabo desta quinta janela de qualificação à zona africana, um factor que, para já, coloca-lhes a um passo do Campeonato do Mundo da China.
Angola, que já marcou presença nas Copas do Mundo realizadas em 1986, em Espanha, de 1990 (Argentina), 1994 (Canadá), 2002 (Estados Unidos da América), 2006 (Japão), 2010 (Turquia) e de 2014 (igualmente no Reino de Espanha), pode chegar aos 21 pontos, caso vença os três desafios desta quinta janela de qualificação.
O facto de deter, nesse momento, a hegemonia continental, o combinado nacional acaba sempre por entrar nas contas, como um sério candidato a assegurar a presença na Copa do Mundo, que acontece de 31 de Agosto a 15 de Setembro do próximo ano.
Aliás, é importante referir, nesse aspecto, que depois de se estrear num Mundial de Basquetebol em 1986, Angola falhou apenas a edição de 1998, disputada na Grécia, isso na sequência de ter perdido o Afrobasket do ano anterior, ganho pela Tunísia.
Com a vitória ontem sobre o Camarões, a Selecção Nacional continua a depender exclusivamente de si, para se qualificar à grande montra de basquetebol da China e, consequentemente, conservar a segunda posição do Grupo E.
A Tunísia, que à passagem da primeira jornada desta quinta janela de qualificação á zona africana mantém-se na liderança, garantiu, antecipadamente, a sua qualificação, fruto dos 21 pontos que somava à entrada desta elite continental, que Angola alberga. Ontem os tunisinos somaram 23 pontos ao vencerem o Marocos por 89-51.
Para já, adivinha-se uma casa cheia esta noite, para conforto dos pupilos de William Bryant Voigt, que têm tudo a sua mercê para carimbarem, a partir de hoje, mais uma presença na elite do basquetebol mundial.
De resto, salta ainda à vista o facto de a melhor prestação de sempre do combinado nacional numa Copa do Mundo, datar de 2006, altura em que, sob liderança do angolano Alberto de Carvalho “Ginguba”, chegou à nona posição na prova disputada no Japão.
E, como que a provar que em África os angolanos são ainda senhores e donos da hegemonia, uma vitória hoje sobre o Chade, o cinco nacional pode começar a esboçar uma campanha exitosa no Campeonato do Mundo, que acontece entre Agosto e Setembro nas terras do gigante asiático, que se reflecte naquilo que é o desenvolvimento da China em várias latitudes. Assim se espera para gaúdio dos amantes da modalidade no país...


Últimas Opinies

  • Hoje

    Paradigma do nosso desporto no de palmadas nas costas

    Hoje, isto é, no nosso País (Angola) ocorrem judicialmente julgamentos de  questões futebolísticas mal cumpridas e mesmo sem cumprimento, por parte de clubes, federações, atletas, treinadores e dirigentes.

    Ler mais »

  • Hoje

    Citaes

    É com palavras singelas e honrosas que felicito, em nome do Estado, a equipa técnica e as atletas (da selecção de andebol, sénior feminina), que mais uma vez souberam honrar e com significado o nosso país. 

    Ler mais »

  • Hoje

    So Silvestre

    Apesar do atletismo ser das modalidades mais representativas do nosso mosaico desportivo não é menos verdade que a sua acção se faz sentir com maior impacto quando se chega a esta fase do ano, em que se coloca em funções a máquina organizadora da tradicional corrida de fim de ano, São Silvestre. 

    Ler mais »

  • 15 de Dezembro, 2018

    Um tributo para os ex-atletas

    Numa altura em que o país assinala mudanças profundas em vários domínios e, por conseguinte, fazendo ainda eco por cá o slogan “corrigir o que está mal e melhorar o que está bem”, que virou moda no seio dos nossos compatriotas, há-de todo a premente necessidade de se resgatar a verdadeira identidade dos angolanos

    Ler mais »

  • 15 de Dezembro, 2018

    Honremos as nossas glrias

    Afigura-se sempre pertinente falar ou escrever sobre ex-atletas, de qualquer modalidade, que num passado recente deram o seu melhor, contribuindo para a evolução da mesma e, também para que o País alcançasse glórias no contexto continental e internacional.

    Ler mais »

Ver todas »