Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Reconquistar a hegemonia

11 de Dezembro, 2015
Depois do fracasso que foi a participação de Angola nos Afrobasket' 2015 em ambos os sexos, sendo que em masculinos realizado na Tunísia Angola foi impedida de chegar ao décimo segundo título pela Nigéria e em femininos, nos Camarões, coincidentemente pela mesma Nigéria que quebrou o sonho angolano do terceiro titulo consecutivo.

A julgar pela hegemonia que ostentamos em África no basquetebol é caso para dizer que sentimos, de alguma forma ou de outra feridos no orgulho. No entanto, com a possibilidade de realizarmos as fases finais da Taça Africana dos Clubes Campeões, temos a possibilidade de nos redimir do fiasco das nossas principais selecções este ano.

Assim, a conquista da XXI Taça dos Clubes Campeões Africanos de basquetebol em seniores femininos e a segunda no seu historial pelo 1º de Agosto, constitui um motivo de orgulho não só para os seus adeptos, mas para todos os angolanos. As militares que haviam subido ao pódio pela primeira vez em 2006, somaram o seu segundo titulo continental.

Para não variar a medalha de prata também ficou em casa com as Polícias da capital que se classificaram na segunda posição. Vale recordar que a equipa do Interclube lidera o Ranking Africano com quatro títulos.

As nossas duas equipas dominaram por completo os jogos contra as suas adversarias, sendo que na final o 1º de Agosto, agora sob comando de Jaime Covilhã, dominou por completo a turma da Polícia.

Os cerca de 598 pontos convertidos contra 345 sofridos, indicam claramente a supremacia das militares na referida competição e sem sombra de duvidas o troféu foi-lhe muito bem entregue.

Entretanto, com a realização também no país da Taça dos Clubes Campeões Africanos na classe masculina, a decorrer desde ontem até ao próximo dia 20 do corrente no pavilhão multiuso do Kilamba, o 1º de Agosto, Libolo e Petro de Luanda, também têm oportunidade de fazer esquecer o fracasso da selecção nacional, por sinal maioritariamente constituída por jogadores que militam nestas três melhores agremiações do país.

O Recreativo do Libolo, que vem de uma preparação na Europa e que tem vindo a conquistar o seu espaço no continente africano, onde já conquistou um troféu, o 1º de Agosto e Petro de Luanda, que dispensam apresentações a nível do continente, tudo farão para chamar a si o título e assim reconquistar a nossa hegemonia em África.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »