Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Reflexes e decises

28 de Novembro, 2013
A Federação Angolana de Futebol reúne-se no sábado em assembleia-geral para debater várias questões do actual estado do futebol nacional, tendo na agenda pontos específicos que bem discutidos e analisados podem ajudar a solucionar muitos dos problemas que afligem a modalidade.Os associados da FAF têm, assim, uma soberana oportunidade de se pronunciar em fórum próprio sobre os mais candentes problemas que têm sido debatidos muitas vezes em hasta pública e que geraram muito desconforto entre dirigentes federativos, associativos e de clubes. Daqui a três dias os associados e filiados da federação têm igualmente a oportunidade de avaliar a implementação do programa apresentado por Pedro Neto quando das eleições.

Pedro Neto convenceu o eleitorado com um programa ambicioso, mas na prática parece haver muitas dificuldades em cumprir o que prometeu. Uma séria meditação sobre o que foi o conteúdo do programa de acção deve ser feita pelos associados para que possam fazer as devidas cobranças sobre o que está ou não a ser cumprido.Pedro Neto esboçou um programa ambicioso cuja materialização pode, paulatinamente, retirar a modalidade-rainha do estado nada abonatório a que está votado. Ao percorrer na altura as 18 províncias do país, o presidente da FAF teve contacto directo com os agentes da modalidade para ouvir de viva voz os problemas que afligem o desporto-rei em cada localidade e assim poder preparar a melhor estratégia.

Quase um ano depois de ser eleita, a direcção da FAF tem tido muitas dificuldades em dar corpo ao programa do seu manifesto eleitoral, abrindo brechas a muitas criticas, sobretudo pelo desempenho que tiveram este ano os Palancas Negras, com o fracasso no CAN da África do Sul, a não-qualificação para o CHAN e Mundial, motivando o despedimento do seleccionador Gustavo Ferrín, de nacionalidade uruguaia.

Para sábado o conclave da FAF prevê abordar, entre outros assuntos, a forma de financiamento às selecções nacionais, a rescisão do contrato com Gustavo Ferrín, o projecto de alteração dos estatutos da federação, relatórios das actividades e regulamento dos campeonatos nacionais, inscrições de atletas, assuntos que podem motivar acesos debates.Mais do que esperar que os agentes desportivos “crucifiquem” os actuais gestores da federação, espera-se que sejam capazes de discutir e analisar cada ponto da agenda, contribuindo com sugestões e ideias que possam ajudar a debelar os problemas que continuam a emperrar o desenvolvimento do futebol nacional.Os dias que antecedem a assembleia-geral devem ser aproveitados ao máximo para uma grande reflexão a fim de se realizar uma reunião frutífera

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »