Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Regresso animado

13 de Julho, 2015
As emoções do futebol doméstico regressaram no fim-de-semana com a disputa da 16ª jornada, a primeira da segunda volta, após pausa de cerca de 40 dias em virtude dos compromissos que engajaram a Selecção Nacional, com os jogos das eliminatórias de acesso ao CHAN 2016 e CAN 2017, a disputarem-se, respectivamente, no Ruanda e no Gabão.

A bola voltou, assim, a rolar para gáudio dos aficcionados do "rei" futebol, que entra deste modo na fase da disputa mais importante, ou seja, em que as equipas correm para a concretização dos seus objectivos, entre as que lutam para o título, melhoria da classificação e "figas" à despromoção.

O regresso da maior festa do futebol nacional acontece depois de dois importantes triunfos dos Palancas Negras nas eliminatórias em que procura a qualificação. Primeiro, venceu de forma contundente a República Centro Africana por 4-0, para o CAN, e depois conseguiu um triunfo de 4-2, no cômputo das duas mãos, diante da Swazilândia, para o CHAN.

Estes cenários deixaram os amantes do futebol animados, perspectivando um bom desfecho para qualquer das campanhas dos Palancas Negras. Aqueles resultados e o tempo em que a competição esteve parada, fizeram com que o Girabola fosse aguardado com redobrada expectativa, tal foi o entusiasmo vivido no fim-de-semana com os jogos da 16ª jornada.

Os adeptos mobilizaram-se no apoio às suas equipas, que vão precisar de motivação para aguentar esta etapa que é tida como um sprint final para qualquer das 16 equipas que disputam a maior competição do futebol nacional.

A pausa verificada pode ter causado benefícios e prejuízos a umas e outras. Por um lado, pode ter favorecido as equipas que nas últimas jornadas não iam tão bem no seu desempenho, perdendo jogo atrás de jogo. Por outro, pode ter lesado aquelas que estavam embaladas com os resultados. Os treinadores divergiram quanto a esta análise durante o período de pausa observado.

As agremiações que antes da pausa só somavam vitoriosas são as que sentiram o prejuízo da paragem, pelo facto de terem perdido a embalagem que traziam. Do lado oposto, poderão estar aquelas que estavam com um mau desempenho, tendo a pausa sido aproveitada para corrigir as anomalias e debilidades que as assolavam.

Com a retomada da prova, é altura de realinhar as estratégias para que no final os objectivos possam ser alcançados. A partir de agora, é quase proibido para qualquer equipa o desperdício de pontos, sob pena de colocarem em risco aquilo que pretendem alcançar no final da época.
O Recreativo do Libolo manteve a sua posição de líder e o conforto de pontos que o separam dos demais candidatos, após vitória sobre o 1º de Agosto no jogo grande da 16ª jornada.

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »