Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Regresso ao trabalho

26 de Dezembro, 2013
Depois da campanha no Campeonato do Mundo que decorreu na Sérvia e onde não conseguiu melhor que o 16º lugar, apesar do bom nível competitivo patenteado durante o tempo em que esteve a competir, a Selecção Nacional sénior feminina começa agora a projectar, a partir de amanhã, a presença no Campeonato Africano das Nações a disputar-se em Argel em Janeiro próximo.

O desempenho ainda este mês na Sérvia, prova em que coleccionou duas vitórias e quatro derrotas, deu para ter uma ideia de que equipa podemos ter em Argel onde o país tem a pretensão de continuar a defender a hegemonia do andebol feminino no continente africano. Não obstante a renovação em curso, a Selecção Nacional mostrou ter potencial e jogo após jogo evidenciou um crescendo competitivo que nos dá garantia de poder conquistar para o país o 12º título africano.

Os novos passos que estão a ser trilhados pela equipa nacional sob liderança técnica do professor Vivaldo Eduardo, aliado aos investimentos da Federação Angolana de Andebol, prometem dar muitos frutos no futuro a começar já dentro de poucas semanas com a disputa do CAN na Argélia.

Ao apontar a conquista do título continental como o único objectivo para Angola nesta prova que se avizinha, a direcção da federação presidida por Pedro Godinho demonstra total confiança ao grupo que esteve na Sérvia, não obstante este não ter conseguido concretizar nenhum dos objectivos traçados, que passavam pela presença nos quartos-de-final ou noutra perspectiva classificar-se entre as 12 melhores selecções do mundo andebolístico.

Com o notável trabalho de rejuvenescimento em curso e depois da experiência adquirida por boa parte das novas integrantes do “sete” nacional, Angola pode apresentar-se muito melhor nas próximas competições que tiver pela frente, estando em condições de competir e não apenas de participar.

No último “Africano”, a Selecção Nacional conquistou o seu 11º título e certamente que com o espírito bastante ambicioso do seleccionador Vivaldo Eduardo, a meta vai ser repetir a dose na Argélia. Embora em época de quadra festiva, a equipa técnica e as jogadoras não poupam esforços, estando a trabalhar para encarar o campeonato em boa forma física e técnico-atlética, a fim de ombrear de igual para igual com as adversárias que vão com o objectivo de quebrar a hegemonia do país. À equipa técnica e às atletas, resta desejar-lhes coragem pelo espírito de sacrifício e abnegação que fazem nesta altura em nome da pátria.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

Ver todas »