Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Regresso aos grupos

21 de Janeiro, 2019
Treze anos depois o Petro de Luanda volta a marcar presença na fase de grupos da Taça da Confederação, a segunda competição mais importante de clubes do órgão que superintende o futebol a nível continental.
E diga-se de passagem é um regresso há muito ansiado nas hostes da equipa do “eixo-viário”, pois desde 2006, altura em que a par do Interclube, chegou a esta fase da prova que dá acesso à conquista da “Taça Nelson Mandela”, coleccionou uma série de fracassos nas Afrotaças. O Petro volta, assim, à elite das provas continentais.
E é um regresso que se efectiva após afastar, no último sábado, o Stade Malien, adversário com quem empatou, primeiro a um tento, em Bamako, e depois, no jogo de resposta, em Luanda, venceu por 2-1, com o golo de honra da formação do Mali, a ser já apontado no período de compensão e neutralizações. Os tricolores foram eficazes.
A precisarem simplesmente de um empate sem golos ou de vencer o duelo, pelo menos pela margem mínima, os pupilos do hispano-brasileiro Beto Binchi fizeram o que lhes competia fazer: entrar para este jogo de resposta da terceira e última eliminatória de acesso aos grupos da Taça da Confederação com atitude e vontade de vencer.
Apesar de alguma ansiedade reinante no seio do conjunto nos minutos iniciais da contenda, facto que fez com que várias incursões pela baliza adversária não surtissem o efeito desejado, ainda assim o golo de Tiago Azulão, o “suspeito” de sempre, acabou por tranquilizar a equipa e começar, a partir daí, construir-se o resultado que garantisse a qualificação. O tento do avançado brasileiro sentenciou o marcador na prmeira parte.
A formação “Les Blancs”, designação oficial por que é conhecida o Stade Malien do Mali não se fez rogada apesar da desvantagem no marcador. Pelo contrário, apesar de se apresentar com alguma falta de ritmo face a ausência da competição interna no seu país, soube contrariar bem os intentos do Petro de Luanda.
Porém, fruto da maior eficácia e determição dos jogadores da equipa do Catetão, Vá, que havia apontado também o tento do empate 1-1 no jogo de Bamako, capital maliana, voltou a evidenciar-se, fazendo o segundo tento tricolor sábabo, no 11 de Novembro.
O golo de Vá, bastante ovacionado pelo público presente no Estádio 11 de Novembro, era o sinal mais do que evidente do triunfo tricolor e consequentemente da confirmação do retorno à fase de grupos da Taça da Confederação, 13 anos depois. Não obstante, isso, os malianos ainda conseguiram, com efeito, reduzir para 1-2, por intermédio de Mamadou Keita, ao 90+3, mas ainda assim insuficinete para evitar a eliminação do Stade Malien nesta derradeira eliminatória de acesso aos grupos.
O Petro de Luanda demonstrou, assim, a mesma eficácia evidenciada nas duas primeiras eliminatórias desta competição, em que afastara primeiro o Orapa Unitel FC do Botswna e depois o AS Nyuki da RDC, com um “agregado” de 6-0 e de 2-0 nas duas “mãos” de cada uma destas. Agora resta aguardar pela disputa da fase de grupos desta segunda maior prova de clubes da Confederação Africana de Futebol (CAF), que será sorteada esta semana. Aguardemos!!!...

Últimas Opinies

  • 11 de Novembro, 2019

    O sabor da Dipanda

    O 11 de Novembro é uma data que representa um verdadeiro símbolo da identidade dos angolanos e do país, em si, desde que se libertou das amarras do regime colonial. Portanto, há 44 anos, num dia como hoje, o saudoso Presidente Doutor António Agostinho Neto proclamou perante a África e ao Mundo a Independência Nacional.

    Ler mais »

  • 11 de Novembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Acho que a condecoração vem em boa hora. Devia haver melhor critério, mas não deixo de louvar a atitude do Presidente da República. (...)

    Ler mais »

  • 11 de Novembro, 2019

    Denncias, SIC e PGR

    Certa vez, sem receio de punição, a demonstrar que tinha algum trunfo na manga para provar, o então presidente de direcção do Recreativo do Libolo, Rui Campos, chegou a acusar que os árbitros indicados pelo Conselho Central de Árbitros da Federação Angolana de Futebol manipulavam os jogos e resultados da equipa de Calulu, no sentido de, na altura, impedir a revalidação do título.

    Ler mais »

  • 09 de Novembro, 2019

    Festa da Dipanda e os feitos desportivos

    Angola assinala dentro de sensivelmente dois dias 44 anos desde que se libertou das amarras do regime colonial.

    Ler mais »

  • 09 de Novembro, 2019

    Desporto de unio nos 44 anos da Nao

    Hoje, como não podia deixar de ser, neste espaço escrito “A duas mãos”, acordamos em falarmos da trajectória do nosso desporto, ao longo dos 44 anos de Independência que o País tem.

    Ler mais »

Ver todas »