Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Regresso s Afrotaas

13 de Fevereiro, 2016
O Recreativo do Libolo e o Sagrada Esperança começam esta tarde a caminhada nas Afrotaças em representação do país, nas provas sob a égide da CAF, nomeadamente a Liga dos Campeões e a Taça da Confederação. Depois de quatro representantes no ano passado, este ano só duas equipas representam Angola devido à má prestação na última presença.

A ideia agora é inverter o quadro e para tal as duas equipas deverão fazer o esforço de num primeiro momento atingirem a fase de grupos de uma e outra competições, para depois procurarem chegar o mais longe possível, ou seja, entre os finalistas. Trata-se de uma empreitada complexa que vai exigir muita competitividade aos angolanos.

Para esta fase preliminar, o sorteio acabou por ser favorável às duas equipas, embora o Sagrada Esperança tenha uma missão um pouco mais difícil diante dos sul-africanos do Ajax de Cape Tawn, comparativamente ao Libolo que recebe o Racing Micomeseng da Guiné Equatiorial.

Depois de ter conquistado o ano passado o Girabola, pela segunda vez consecutiva, o campeão nacional espera desta vez ter um desempenho mais feliz nesta competição, depois de ficar pelo caminho logo na primeira eliminatória em 2015. O futuro dos libolenses passa por grandes ambições, como é o caso de fazer história na fase de grupos da Liga dos Clubes Campeões, prova na qual vai marcar presença pela quinta vez.

Não tendo sido bem sucedido na estreia, com a eliminação durante as eliminatórias, o embaixador angolano já esteve melhor no ano seguinte com a entrada na fase de grupos, apesar de não ter alcançado o objectivo de chegar à fase seguinte, ou seja, às meias-finais.

Com o regresso à competição milionária, a direcção do clube há muito esboçou uma estratégia para fazer com que o clube represente o país ao mais alto nível. O seu presidente, Rui Campos, não esconde a ambição de ver a equipa de Calulo conquistar um título africano de clubes.

A aposta num plantel equilibrado que aguente a pedalada de três provas competitivas, como é o Girabola, a Liga dos Campeões e a Taça de Angola, é um dos objectivos que a direcção do Libolo tem focado. A conquista da Supertaça diante do FC Bravos do Maquis pode ter sido o primeiro sinal.

A continuidade do técnico João Paulo Costa e a espinha dorsal do plantel ajudam a prever um Libolo mais competitivo e a altura de cumprir com aquilo que são os seus objectivos nesta época.

Quem também vai procurar ter um desempenho que dignifique o futebol nacional é o Sagrada Esperança, em substituição do FC Bravos do Maquis, que representa o país na Taça da Confederação. O AJax de Cape Town da África do Sul tinha anunciado a possível desistência da prova, é o adversário da fase preliminar.Não tendo logrado a passagem à fase seguinte, por via administrativa, aos lundas resta mostrar em campo que estão dispostos a fazer uma boa figura na prova, neste regresso às Afrotaças depois de alguns bons anos ausentes.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »