Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Regresso s Afrotaas

13 de Fevereiro, 2016
O Recreativo do Libolo e o Sagrada Esperança começam esta tarde a caminhada nas Afrotaças em representação do país, nas provas sob a égide da CAF, nomeadamente a Liga dos Campeões e a Taça da Confederação. Depois de quatro representantes no ano passado, este ano só duas equipas representam Angola devido à má prestação na última presença.

A ideia agora é inverter o quadro e para tal as duas equipas deverão fazer o esforço de num primeiro momento atingirem a fase de grupos de uma e outra competições, para depois procurarem chegar o mais longe possível, ou seja, entre os finalistas. Trata-se de uma empreitada complexa que vai exigir muita competitividade aos angolanos.

Para esta fase preliminar, o sorteio acabou por ser favorável às duas equipas, embora o Sagrada Esperança tenha uma missão um pouco mais difícil diante dos sul-africanos do Ajax de Cape Tawn, comparativamente ao Libolo que recebe o Racing Micomeseng da Guiné Equatiorial.

Depois de ter conquistado o ano passado o Girabola, pela segunda vez consecutiva, o campeão nacional espera desta vez ter um desempenho mais feliz nesta competição, depois de ficar pelo caminho logo na primeira eliminatória em 2015. O futuro dos libolenses passa por grandes ambições, como é o caso de fazer história na fase de grupos da Liga dos Clubes Campeões, prova na qual vai marcar presença pela quinta vez.

Não tendo sido bem sucedido na estreia, com a eliminação durante as eliminatórias, o embaixador angolano já esteve melhor no ano seguinte com a entrada na fase de grupos, apesar de não ter alcançado o objectivo de chegar à fase seguinte, ou seja, às meias-finais.

Com o regresso à competição milionária, a direcção do clube há muito esboçou uma estratégia para fazer com que o clube represente o país ao mais alto nível. O seu presidente, Rui Campos, não esconde a ambição de ver a equipa de Calulo conquistar um título africano de clubes.

A aposta num plantel equilibrado que aguente a pedalada de três provas competitivas, como é o Girabola, a Liga dos Campeões e a Taça de Angola, é um dos objectivos que a direcção do Libolo tem focado. A conquista da Supertaça diante do FC Bravos do Maquis pode ter sido o primeiro sinal.

A continuidade do técnico João Paulo Costa e a espinha dorsal do plantel ajudam a prever um Libolo mais competitivo e a altura de cumprir com aquilo que são os seus objectivos nesta época.

Quem também vai procurar ter um desempenho que dignifique o futebol nacional é o Sagrada Esperança, em substituição do FC Bravos do Maquis, que representa o país na Taça da Confederação. O AJax de Cape Town da África do Sul tinha anunciado a possível desistência da prova, é o adversário da fase preliminar.Não tendo logrado a passagem à fase seguinte, por via administrativa, aos lundas resta mostrar em campo que estão dispostos a fazer uma boa figura na prova, neste regresso às Afrotaças depois de alguns bons anos ausentes.

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »