Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Regresso emotivo

16 de Outubro, 2014
O Girabola regressa no fim de semana, depois de uma pausa de quase duas semanas, devido aos compromissos dos Palancas Negras. Um regresso que já mexe com os aficionados da modalidade, face ao clima escaldante que a prova observa nos dois pólos da tabela classificativa: a luta pelo título e a luta pela permanência na fina flor do futebol nacional.

No primeiro pólo colocamos o líder Recreativo do Libolo e o segundo classificado, o campeão em título, Kabuscorp do Palanca, separados por apenas quatro pontos, quando restam quatro jornadas para o final da competição.

Estão ainda em disputa 12 pontos, o que pode significar uma ponta final escaldante de emoções. O Recreativo do Libolo nas duas últimas jornadas perdeu quatro pontos ao empatar no Dundo com o Sagrada Esperança e no “Inferno” de Calulo com o Sporting de Cabinda, complicou as suas aspirações quando estava comodamente instalado na poltrona da liderança.

O Kabuscorp foi quem mais beneficiou com as escorregadelas do líder. Somou seis pontos nas duas últimas jornadas e diminui a diferença que os separava. A perda de pontos do Libolo e as duas vitórias consecutivas do campeão em título, atiçam ainda mais a luta pelo título. Luta que vai animar esta ponta final da prova.

Revendo o calendário que cada uma das equipas vai ter nestas quatro últimas jornadas, o Recreativo do Libolo é à primeira vista, o que tem um final mais apertado, já que dos quatro jogos que vai ter, três são fora de casa: defronta o 1º de Maio, em Benguela, o ASA e o Benfica de Luanda, na capital. O único jogo em casa vai ser com o União do Uíge.

O Kabuscorp recebe nos Coqueiros o Interclube e o Petro de Luanda, sai a visitar o Benfica do Lubango e o Progresso. Tem dois jogos em casa e outros dois fora do seu ambiente. Um calendário mais acessível se comparado com o do Recreativo do Libolo que apenas uma vez joga no seu reduto, nesta ponta final.

Um outro factor a ter em conta, é o nível dos adversários de cada uma das equipas. Nesse pormenor, o Recreativo do Libolo tem mais sorte, já que não vai defrontar nenhum colosso. O único adversário de peso pode ser o Benfica de Luanda, na derradeira jornada. O 1º de Maio, ASA e União do Uíge não têm a força de um Interclube, Petro de Luanda e Progresso, três dos adversários do Kabuscorp.

A luta pela manutenção na elite do futebol nacional é outro pólo de atracção nesta recta final do Girabola. Tudo indica que o União do Uíge seja despromovido, falta conhecer os seus dois acompanhantes. Há um quarteto formado pelo Desportivo da Huíla com 26 pontos, o Sporting de Cabinda tem 25 pontos, o 1º de Maio com 24 pontos e o Benfica do Lubango com 20 pontos, duas delas vão ser despromovidas.

Nesta luta titânica que vamos assistir nesta ponta final, há um aspecto a considerar: a arbitragem. Julgamos que o Conselho Central leve isso em conta.

Últimas Opinies

  • 24 de Agosto, 2019

    O amiguismo na resciso

    O assunto de momento no nosso futebol, convenhamos, é sem dúvidas o desenlace entre a Federação Angolana de Futebol (FAF) e o técnico Srdjan Vasiljevic, em face de algumas situações que vinham acontecendo e que originou que se estalasse o verniz.

    Ler mais »

  • 24 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Os jogadores aguardaram isso dos dirigentes, para que a motivação crescesse

    Ler mais »

  • 24 de Agosto, 2019

    O sonho dos grupos

    Após as vitórias extramuros nas deslocações à Tanzânia e ao Lesotho, o 1º de Agosto e Petro têm, neste fim-de-semana, a oportunidade soberana de confirmarem a qualificação para última eliminatória de acesso a fase de grupos da Liga dos Campeões Africanos.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Viemos a público para responder ou esclarecer o que aconteceu.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

Ver todas »