Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Safra setembrina

03 de Outubro, 2019
O mês de Setembro, acabou por ser desportivamente proveitoso. A excepção do basquetebol sénior masculino, que no mundial da China não foi capaz de obter o passe de acesso directo aos próximos Jogos Olímpicos, sujeitando-se agora à disputa do torneio pré-olímpico, para conseguir tal desiderato, no resto dos compromissos o país saiu-se bem.
No andebol, por exemplo, a selecção sénior feminina de andebol não teve dificuldades de monta, para confirmar a qualificação aos Jogos de Tóquio. No campeonato disputado, recentemente, em Dakar, Senegal, conseguiu impor a sua categoria, num torneio super disputado, em face do número de equipas nele representadas e das ambições que estas traziam na bagagem.
Com determinação, garra e vontade de conquista, as Pérolas, como são carinhosamente tratadas, mostraram aos concorrentes que ainda eram detentoras do melhor andebol que se pode ver desfilar pelo continente africano, deixando por terra colossos como República Democrática do Congo, Senegal e outros com créditos bem firmados no andebol continental.
Neste caso, o andebol é a primeira modalidade a garantir presença na maior manifestação desportiva do planeta por mérito próprio. Aliás, comenta-se à boca pequena, que em Tóquio`2020 Angola corre o risco de se fazer presente com a delegação mais pequena de todos os tempos. Pois, em face das marcas, pouco conseguidas, pelas diversas modalidades nos últimos Jogos Africanos, não se espera por uma grande representatividade.
O basquetebol, como já o dissemos, no começo, está a depender de um torneio pré-olímpico, em que estarão presentes outras selecções ávidas em marcar a sua presença nos Jogos de Tóquio, presumindo-se daí que a empreitada não seja fácil. Portanto, a qualificação da “bola ao cesto” é, pelo sim pelo não, algo que está ainda nos diversos.
De momento, a par do andebol, apenas a natação e o atletismo estão confirmados. Mesmo quanto o tiro, colocam-se muitas reticências, depois de resultados muito aquém das expectativas que obteve em torneios já disputados. Portanto, paira o receio de o andebol feminino vir a ser a maior representação do país.
Como o essencial deste escrito é falar dos louros do mês de Setembro, não devemos esquecer que outra nota de realce, foi a qualificação para a fase de grupos da Liga dos Campeões em futebol das equipas do Petro de Luanda e do 1º de Agosto, algo vivamente saudado pelo país inteiro, em face da sua importância e significado.
De resto, é a primeira vez que Angola marca presença na Champions com duas equipas, o que expressa, sem dúvida, a vitalidade que vai pelo nosso futebol, apesar de todas as dificuldades do momento, resultantes da própria conjuntura. Mas, quando há trabalho e políticas de investimento bem direccionadas, os resultados aparecem. Pode ser o caso.

Últimas Opinies

  • 14 de Dezembro, 2019

    Dcimo lugar reflecte sentido do dever cumprido

    O décimo-quinto lugar conseguido na 24ª edição do Campeonato do Mundo disputado na cidade japonesa de Kumamoto, melhorando o 19º conquistado há dois anos, na Alemanha, constitui uma safra boa.

    Ler mais »

  • 14 de Dezembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Os nossos atletas estão a corresponder com aquilo que nós almejamos, tentar fazer sempre o nosso melhor, no sentido de disputarmos um campeonato tranquilo para que consigamos, também, na parte final do campeonato, termos essa tranquilidade e a permanência assegurada.

    Ler mais »

  • 14 de Dezembro, 2019

    Quem salva o ASA

    Campeão das edições do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão de 2002, 2003 e de 2004, respectivamente, o Atlético Sport Aviação (ASA), um clube cuja existência remonta desde o longínquo 1 de Abril de 1953, corre o risco de extinguir a sua equipa principal.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Vale a pena continuar a acreditar nos nossos representantes?

    A caminho da terceira jornada, os dois representantes angolanos na fase de grupos de Liga do  Campeões Africanos, continuam a decepcionar. Na primeira jornada, os militares perderam dois preciosos pontos na recepção aos zambianos do Zesco United, enquanto os petrolíferos foram goleados por três bolas a zero em casa do Mamelodi Sundowns da África do Sul.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Manter a esperana apesar do mau comeo

    Realizadas as duas primeiras jornadas da Liga dos Campeões Africanos, em que estão envolvidas, em representação de Angola, o Clube Desportivo 1º de Agosto e o Atlético Petróleos de Luanda, reservo-me ao direito de expressar o que penso sobre o desempenho das equipas angolanas, que considero ser deficitário não só em termos dos resultados, mas também da qualidade do futebol apresentado.

    Ler mais »

Ver todas »